Durante audiência de custódia, o público e jornalista nomeado na Segov (Secretaria Estadual de Governo de Mato Grosso do Sul), Guilherme Pimentel, pagou fiança de R$ 66 mil determinada para responder o processo em liberdade, na manhã deste domingo (10), após matar no trânsito Belquis Maidana, de 51 anos na manhã de sábado (9).

Além da fiança de 50 salários-mínimos, a Justiça determinou que ele não deve deixar de comparecer para ato no processo, obstruir o andamento do processo, praticar nova infração penal dolosa, não pode se ausentar por mais de 8 dias de sua casa ou mudar de endereço sem comunicar nos autos, além de ter a CNH suspensa por 6 meses.

Além da morte de Belquis, que era passageira de uma motocicleta, o marido dela, que pilotava a motocicleta, foi socorrido em estado gravíssimo para a , onde permanece em coma.

Acidente

jornalista nomeado na Segov (Secretaria Estadual de Governo de Mato Grosso do Sul), Guilherme Pimentel, preso em flagrante devido ao acidente que terminou na morte de uma mulher, de 51 anos, Belquis Maidana, por volta das 7 horas, de sábado (9), estava a 100 Km/h, segundo informações da Polícia Civil.

Segundo informações, o jornalista estava na casa de seu companheiro às 5h30 da manhã de sábado (9) onde os dois beberam vinho e logo depois o assessor saiu dirigindo o Toyota Etios, quando acabou ocorrendo o acidente na Rua Antônio Maria Coelho, quando bateu contra a motocicleta Honda Biz, de cor azul, no cruzamento com a Rua Bahia.

O carro que Guilherme dirigia estaria a 100 KM/h e teria furado o sinal vermelho acertando a motocicleta que chegou a ser arrastada por cerca de 25 metros lançando as vítimas ao chão. O piloto da motocicleta foi socorrido em estado grave para a Santa Casa e passou por cirurgia.

Quando os policiais chegaram ao acidente, o jornalista apresentava olhos vermelhos, odor etílico, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. Também no local, foi constatado pelos policiais que o veículo Toyota Etios é oficial do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, pertencente a Agesul, o que foi confirmado por um servidor público o qual apresentou-se como funcionário da secretaria de governo do MS, informando que o jornalista é lotado na secretaria e que confirmando que o veículo é oficial, ficando responsável pelo mesmo e pelos pertences que estavam dentro do veículo.

Guilherme foi ouvido e alegou que no da noite de sexta-feira (8) e no início da madrugada de sábado (9), teria bebido vinho com seu companheiro, pernoitando na residência de seu companheiro até por volta das 05h30, quando teria saído com o veículo oficial, alegando que teria escala de plantão na Segov. Ele foi preso em flagrante.

Saiba Mais