A viúva Mary Beltrão, esposa de Wander Alves — conhecido como Dinho Vital —, disse que a família aguarda os laudos de investigação sobre a morte do ex-vereador de Anastácio. Ele foi morto em 8 de maio com dois tiros, sendo que um atingiu o ex-parlamentar pelas costas.

Uma investigação foi aberta para apurar suposta execução do ex-vereador. O ex-prefeito Douglas Figueiredo e dois policiais militares foram presos durante a operação do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Repressão ao Crime Organizado).

“O MP agiu bem rápido estamos aguardando laudos, tem pessoas ainda para serem ouvidas, mas o apoio é o clamor da população por justiça foi fundamental”, comentou a viúva. Ao Jornal Midiamax, ela disse que sente insegurança após a morte do marido.

Assim, destacou que a morte gerou comoção na cidade. “Acharam que se matassem o Dinho estariam fazendo um limpa na cidade, mas a cidade inteira chorou com minha família”, disse.

Após a morte do ex-vereador, a família enfrenta o luto e problemas de saúde. “Foi muito difícil, meus sogros são de idade e não passaram bem, problemas de saúde, minha mãe tem diabetes emocional era apaixonada pelo Dinho”, detalhou à reportagem.

Mary disse que está tomada por saudades do marido. “A saudade e a dor são grandes, mas preciso me manter em pé pelos meus filhos”, finalizou.

Operação em Anastácio

Douglas Figueiredo foi preso em flagrante na sexta-feira (17) em durante operação do Gaeco. O pré-candidato Douglas Figueiredo minimizou a investigação sobre a morte do ex-vereador Dinho Vital em Anastácio. Figueiredo é a aposta de Reinaldo Azambuja, presidente do PSDB, para a Prefeitura de Anastácio, a 145 quilômetros de Campo Grande.

Além de Douglas, os policiais envolvidos na morte de Dinho Vital também são alvos da operação. Por fim, a assessoria do ex-prefeito confirmou que o político é alvo de buscas.

O mandado de busca e apreensão foi expedido pela 1ª Vara da Justiça de Anastácio e assinado pelo juiz Luciano Pedro Beladelli, no fim da tarde desta quinta-feira (16). Então, o MPMS (Ministério Público Estadual) solicitou as buscas e equipes do Gaeco seguiram até a casa de Douglas Figueiredo e dos dois PMs nesta manhã. Foram expedidos três mandados de busca e apreensão e dois mandados de prisão temporária.

Nesse sentido, o documento detalha que o objetivo das buscas é “coletar provas relativas à prática de homicídio qualificado, por meio de apreensão de vestígios físicos ou digitais localizados […] quando houver suspeita que contenham material probatório relevante para as investigações”.