Os policiais militares envolvidos na morte do ex-vereador Wander da Silva Vital, o Dinho Vital, de 40 anos, morto a tiros em um confronto, na BR-262, no dia 8 deste mês, estão afastados, segundo o advogado de defesa dos militares Lucas Rocha. Dinho foi morto com dois tiros e um dos disparos teria sido nas costas.

Conforme o advogado, os policiais passaram pelo setor psicológico da PM e por estarem abalados acabaram afastados. Ainda de acordo com Rocha, os militares se colocaram à disposição do Ministério Público de Anastácio, também do Gacep (Grupo de Atuação Especial de Controle Externo da Atividade Policial) do MPMS, e da Polícia Civil de Anastácio para esclarecimentos.

Os policiais foram ouvidos na Corregedoria, que abriu um inquérito para apurar a ação dos militares. No dia 8 de maio, os policiais foram chamados para o local após serem avisados de um pessoa armada na BR-262, segundo ocorrência da PM.

Ainda conforme o documento, o sargento e o cabo disseram que estavam na chácara do Gaúcho, onde acontecia um almoço em comemoração ao aniversário da cidade. Afirmaram também que horas antes Dinho teria se envolvido em uma briga com o ex-prefeito Douglas Figueiredo.

Dinho estaria bastante alterado, sendo contido por amigos e familiares. Em seguida, deixou o local afirmando que voltaria mais tarde, armado, para acertar as contas com Douglas. O ex-vereador, então, por volta das 16 horas, ficou passando em frente à chácara.

Logo depois, algumas pessoas informaram ao sargento e ao cabo que Dinho estava armado, aguardando a saída de Douglas. Neste momento, os dois policiais se deslocaram no carro do cabo da PM até onde Dinho estava com o veículo parado na rodovia. Eles se aproximaram de Dinho, que já estava fora do veículo com a arma em punho.

Conforme os policiais, eles pediram que a vítima largasse a arma. Porém, Dinho não acatou e com a arma em punho partiu em direção aos policiais. Dessa forma, eles revidaram a agressão, fazendo disparos contra o ex-vereador. Em seguida, após ser ferido, tentou correr para seu carro, mas caiu ao solo, onde morreu.

A PRF (Polícia Rodoviária Federal), também acionada para o local, relatou que ao chegar, por volta das 17 horas, encontrou a vítima, dois veículos e dois homens, de 32 e 37 anos, sendo eles os policiais militares. Assim, os agentes constataram a presença da PM, que já estava atendendo à ocorrência e ficou responsável pelo encaminhamento à Polícia Civil, tendo em vista que foram os primeiros a chegar no local. 

De acordo com a ocorrência da PRF, também estava presente uma ambulância do Corpo de Bombeiros. A equipe da PRF permaneceu realizando a orientação de trânsito durante os trabalhos da perícia.

Conforme a Corregedoria da PMMS: “Todos os procedimentos legais foram tomados, as providências de Polícia Judiciária Militar foram realizadas, a perícia técnica do Estado foi acionada recolhendo todos os indícios e vestígios e a ação será investigada por meio de um Inquérito Policial Militar. O caso foi remetido à Corregedoria da PMMS e as oitivas das testemunhas serão providenciadas o mais breve possível”.