O taxista preso após atirar no motorista de um HB20, nesta terça-feira (16), na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, depois de uma ‘fechada’ no trânsito, foi solto em audiência de custódia nesta quarta-feira (17).

O taxista pagou uma fiança de R$ 4 mil, e como medidas cautelares deverá comparecer perante a autoridade todas as vezes que for intimado para atos do inquérito da instrução criminal e para o julgamento, não podendo mudar de residência, sem prévia permissão da autoridade processante, ou ausentar-se por mais de oito dias de sua residência, sem comunicar àquela autoridade o lugar onde será encontrado.

Os tiros aconteceram por volta das 21 horas, quando os policiais receberam a denúncia dos disparos contra o motorista nas proximidades de um atacadista, na avenida. O motorista do HB20 não ficou ferido.

‘Fechada’ no trânsito

O taxista contou que o motorista do HB20 estava ‘fechando’ o seu carro no trânsito, inclusive freando em sua frente para que diminuísse a velocidade. Ele disse que achava ser um assalto e, por isso, efetuou o disparo. 

Quando os policiais encontraram o taxista, estacionado no ponto de táxi no Aeroporto Internacional de Campo Grande, ele inicialmente negou o crime. Mas, em vistorias no carro do autor, os militares encontraram a arma, um revólver calibre .38, que estava entre o banco do motorista e do passageiro.