A pane no motor do da Casa Militar – que caiu com quatro militares a bordo nas proximidades do Aeroporto Santa Maria em Campo Grande -, é o terceiro acidente envolvendo aeronaves do Governo de em um intervalo de 4 meses. A aeronave do governo caiu no fim da manhã desta quinta-feira (18).

Conforme apurado pela reportagem do Jornal Midiamax, outro helicóptero se envolveu em um acidente no mês de março, pois não teria baixado o trem de pouso. O trem é um dos principais equipamentos da aeronave, usado para permitir uma decolagem e pouso com segurança. 

Além disso, outra aeronave se envolveu em acidente anteriormente. Com a queda do helicóptero ocorrida na manhã desta quinta (18), o Estado contabiliza 3 acidentes de aeronaves do Governo de janeiro a abril deste ano.

A aeronave sofreu uma pane no motor e pilonou – quando a aeronave colide a parte frontal no solo e ‘capota'. Ela realizava voo semanal de giro, realizado para preservação do equipamento, e estava há 20 minutos no ar, quando sofreu a pane.

Conforme nota oficial do Governo do Estado, o helicóptero estava com quatro servidores, sendo dois pilotos e dois tripulantes e apenas um deles teria sofrido ferimentos leves. Estavam a bordo: dois coronéis – que pilotavam o helicóptero –, um sargento e um subtenente da Casa Militar.

O Jornal Midiamax também apurou que um dos coronéis que estava a bordo da aeronave teria sido socorrido com lesão na coluna.

A delegada Ana Cláudia Medina, do Dracco (Departamento de Repressão à Corrupção e ao ), informou que o Cenipa (Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos) estará no local onde ocorreu a queda a partir desta sexta-feira (19) para realizar os trabalhos de perícia, já iniciados nesta quinta (18).

‘Barulho estranho' antes da queda

Trabalhador que estava no aeroporto no momento do acidente relatou à reportagem do Jornal Midiamax que ouviu um ‘barulho estranho' e comentou que parecia que iria cair. Depois, disse ter escutado um outro barulho e viu as pessoas correndo.

Helicóptero era do supertraficante Ramirez Abadía

A aeronave, um Jet Ranger, era do supertraficante Ramirez Abadía. Após operação da PF (Polícia Federal) para apreendê-la, ela foi doada em 2013 ao Governo de Mato Grosso do Sul para combater o crime. 

O helicóptero não consta como transferido, atualmente ele está apenas sob cautela do Estado de MS.

Equipes do Dracco, Polícia Civil e socorristas do Corpo de Bombeiros e do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) estiveram no local.

*Matéria atualizada às 8h de 19/04 para correção de informação.

(Alicce Rodrigues, Midiamax)