Morreu a mulher, de 29 anos, identificada como Dayane Xavier da Silva, esfaqueada pelo marido, de 38 anos, no bairro Nova Campo Grande, na noite desta sexta-feira (22). Esse foi o segundo caso de feminicídio ocorrido no mesmo dia em Campo Grande.

A vítima sofreu três cortes na região da virilha, perdeu muito sangue. Ela foi socorrida e levada para a Santa Casa, mas não resistiu aos ferimentos.

A família chegou a pedir doação de sangue em nome de Dayane, que foi morta após uma discussão com o autor.

A vítima e autor moravam há dois meses na casa onde ocorreu o feminicídio, que é de uma amiga de Dayane. Ela estava presente no momento do crime e contou que os três estavam em uma conveniência.

Em determinado momento, o autor saiu para ir ao mercado e depois voltou. Os três retornaram para casa. Na sala da residência, o casal teve uma discussão na frente da amiga. “Ele foi na cozinha pegou a faca e veio, só que a gente não esperava. Ele deu a facada, eu segurei ele e ele deu mais uma facada. Aí ela saiu correndo, pedindo socorro”, disse a dona da casa. O autor fugiu logo após o crime.

A vítima conseguiu correr até a residência de uma vizinha e pedir ajuda. A moradora estancou o sangue de Dayane com uma toalha até a chegada do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência).

Segundo caso

Dayane foi a segunda vítima de feminicídio na noite desta sexta-feira, em Campo Grande. A primeira vítima foi Renata Andrades de Campos Widal, de 39 anos, morta pelo próprio irmão, de 36 anos, no Jardim Centenário.

Renata Widal foi morta pelo próprio irmão – (Foto: Reprodução, Redes Sociais)

O autor acionou a polícia para comunicar a morte, contudo, inventou a narrativa de que quatro homens invadiram a residência e mataram Renata. Os policiais desconfiaram de lesões na mão dele e, questionado, confessou o crime.