O traficante Caio Bernasconi Braga, o “Fantasma da Fronteira”, apontado como um dos líderes do PCC (Primeiro Comando da Capital), preso em nesta terça-feira (2), foi transferido no mesmo dia para , em uma sigilosa. Já nesta quarta, ele participou de audiência de custódia na Capital e está preso sob custódia da Polícia Federal.

O criminoso é ligado ao grupo de Minotauro, Sergio Arruda Quintiliano Neto. Ele estava foragido desde 2015, e, em 2020, foi alvo de nova denúncia. “Fantasma” foi um dos indiciados após a Operação Além-Mar, acusado de atravessar carregamentos de cocaína do Paraguai e enviar a em contêineres de fruta para a Europa.

Ele foi preso quando trocava de aeronaves, em uma pista na área rural de Ponta Porã. As duas aeronaves de pequeno porte também foram apreendidas.

Operação Além-Mar

Em 2020, durante a Operação Além-Mar, foi apreendida grande carga de cocaína em Amambay, na região de fronteira com o Paraguai. A aconteceu em trabalho conjunto com a Senad (Secretaria Nacional de Políticas Sobre Drogas).

Essa apreensão aconteceu em Cerro Cora'i, sendo encontrados e apreendidos 310 quilos de cocaína, além de um carregamento de maconha.

Ainda conforme a PF, as ações e investigações que aconteciam há 3 anos, miram em grande esquema de tráfico internacional de cocaína esquematizado por Minotauro, Sergio Arruda Quintiliano Neto. A princípio, a cocaína originalmente vinda da Bolívia era armazenada no Paraguai, em Amambay.

Então, dali ela entrava no Brasil através da fronteira com Mato Grosso do Sul e por meio de aeronaves chegava aos portos, principalmente no Rio Grande do Norte. De lá, era levada para a Europa.