O secretário Municipal de Educação, Lucas Bittencourt, disse na manhã desta sexta-feira (19) que não tinha conhecimento sobre o caso de estupro que o adolescente havia sofrido, na Escola Municipal Bernardo Franco Baís, em . O adolescente esfaqueou uma advogada de 45 anos, nessa quinta-feira (18). 

Lucas Bittencourt disse ao Jornal Midiamax que nada foi registrado em Ata sobre o caso de estupro do adolescente. Ainda segundo o secretário, existe um grupo de psicólogos para atender a escola, mas que não fica sempre na unidade escolar. Os profissionais ficam em um centro e atendem as escolas. 

Ainda segundo o secretário, existe o programa ‘Valorização à Vida', onde é feito o mapeamento das unidades escolares e as escolas têm um acompanhamento mais próximo. Foi informado que não será feito reforço na segurança da unidade, já que os quatro agentes seriam suficientes. 

Nesta sexta (19), funcionários da (Secretaria Municipal de Educação) fizeram a acolhida dos alunos após o episódio.

Estupro no banheiro

O adolescente de 15 anos contou ter sido abusado sexualmente dentro do banheiro da unidade escolar no passado, segundo seu depoimento a um dos policiais sobre o que teria motivado o crime.

O adolescente disse os nomes de seus estupradores, não dando mais detalhes do abuso. Mas, segundo informações, esta seria a motivação para o crime. O crime aconteceu por volta das 13h10 dessa quinta (18), quando o adolescente tentava entrar na escola com facas nas mãos.

Advogada levou facada nas costas

A advogada de 45 anos que estava na frente da unidade escolar tentou impedir a entrada do garoto que desferiu um golpe na região lombar da mulher.

Após a advogada cair no chão, o adolescente ainda tentou entrar na escola, mas foi impedido pelo agente patrimonial da unidade escolar e por um professor que trabalha na escola. A Polícia Militar foi acionada e deteve o adolescente.

Na mochila dele foram encontradas facas e uma marreta, tipo de construção civil. O Corpo de Bombeiros foi acionado e a advogada levada para a Santa Casa. O adolescente foi levado para a (Delegacia Especializada no Atendimento à Infância e Juventude), de onde foi encaminhado para a (Unidade Educacional de Internação).