Morreu na Santa Casa de Campo Grande Lucas Daniel Venâncio, de 21 anos, o motoentregador atropelado no cruzamento da Avenida Afonso Pena com Ernesto Geisel, um mês após ficar internado. O acidente aconteceu no dia 21 de maio e o motorista do carro, de 40 anos, estaria embriagado.

A tia do jovem, Jessika Karina Cordeiro Gonzalez, disse que a mãe foi até o hospital para organizar os procedimentos para o velório. A família pede por justiça e reversão da pena do condutor envolvido no acidente. “Não podemos deixar pessoas criminosas impunes. Esse cara tirou uma vida. Lucas trazia o sustento da família e deixou um filho de dois anos”.

Na época, a mãe de Lucas contou ao Jornal Midiamax que o jovem havia começado a trabalhar há dois meses, pois ela ficou doente e não podia trabalhar. O rapaz ainda estaria saindo de um período de depressão. “Meu filho é o que traz o sustento para dentro de casa. Eu não cheguei a ver a moto, mas pelo que fiquei sabendo perdeu a placa no acidente e o guincho levou”.

Acidente

O jovem quase caiu no córrego do trecho com a colisão. Conforme relatado por testemunhas, ambos os envolvidos seguiam na Afonso Pena, sentido Centro — o motorista do carro na faixa da esquerda e o motoentregador à direita.

“Estávamos atrás da Tacker, ele estava na última faixa da esquerda, semáforo estava aberto e ele parou o veículo dele totalmente no meio da pista, um pouco depois da faixa de pedestre! Começamos a reduzir o carro, e ele virou para fazer a conversão para entrar na Ernesto, acelerando muito, tanto que o carro dele cantou pneu!”, descreveu uma testemunha.

Ainda segundo as testemunhas, o carro virou para entrar na Ernesto Geisel e acabou colidindo com a moto. O entregador parou no guard rail e o veículo bateu na parte mais elevada da calçada, já na ponte do Rio Anhanduí.

Condutor embriagado

O motorista da Tracker foi levado para delegacia. O homem realizou o teste do bafômetro, que acusou embriaguez por 0,13 mg/, configurado como pena administrativa e infração de trânsito gravíssima.