O motociclista, de 43 anos, vítima do acidente com um carro oficial do Governo de Mato Grosso do Sul, conduzido por um jornalista nomeado, ocorrido na manhã de sábado, 9 de dezembro, saiu da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e já está na enfermaria da Santa Casa de .

Ele era marido de Belquis de Oliveira Maidana, de 51 anos, que estava na garupa da e morreu ainda no local. O motociclista sofreu politraumatismo, passou por duas cirurgias torácicas e está em recuperação, acompanhado de familiares. Ele segue sem previsão de alta hospitalar.

O acidente aconteceu no cruzamento da Rua Antônio Maria Coelho com a Rua Bahia, no dos Estados, no início da manhã de sábado (9). O nomeado na (Secretaria Estadual de Governo de Mato Grosso do Sul), Guilherme Pimentel, dirigia um Toyota Etios a 100 Km/h, quando acertou a motocicleta Honda Biz.

Jornalista pagou fiança de R$ 66 mil e responderá em liberdade

Durante audiência de custódia, o jornalista pagou fiança de R$ 66 mil determinada para responder o processo em liberdade, na manhã do dia 10, após matar no trânsito Belquis Maidana, de 51 anos na manhã de sábado (9).

Além da fiança de 50 salários-mínimos, a Justiça determinou que ele não deve deixar de comparecer para ato no processo, obstruir o andamento do processo, praticar nova infração penal dolosa, não pode se ausentar por mais de 8 dias de sua casa ou mudar de endereço sem comunicar nos autos, além de ter a CNH suspensa por 6 meses.

Jornalista estaria embriagado

Segundo informações, o jornalista estava na casa de seu companheiro às 5h30 da manhã de sábado (9) onde os dois beberam vinho e logo depois o assessor saiu dirigindo o Toyota Etios, quando acabou ocorrendo o acidente na Rua Antônio Maria Coelho quando bateu contra a motocicleta Honda Biz, de cor azul, no cruzamento com a Rua Bahia.

O carro que Guilherme dirigia estaria a 100 KM/h e teria furado o sinal vermelho acertando a motocicleta que chegou a ser arrastada por cerca de 25 metros lançando as vítimas ao chão. 

Quando os policiais chegaram ao acidente, o jornalista apresentava olhos vermelhos, odor etílico, mas se recusou a fazer o teste do bafômetro. Também no local, foi constatado pelos policiais que o veículo Toyota Etios é oficial do Governo do Estado de Mato Grosso do Sul, pertencente a Agesul, o que foi confirmado por um servidor público o qual apresentou-se como funcionário da secretaria de governo do MS, informando que o jornalista é lotado na secretaria e que confirmando que o veículo é oficial, ficando responsável pelo mesmo e pelos pertences que estavam dentro do veículo.

Guilherme foi ouvido e alegou que no final da noite de sexta-feira (8) e no início da madrugada de sábado (9), teria bebido vinho com seu companheiro, pernoitando na residência de seu companheiro até por volta das 05h30, quando teria saído com o veículo oficial, alegando que teria escala de plantão na Segov. Ele foi preso em flagrante.