Sete indígenas foram resgatados sob condições análoga de escravidão em uma fazenda de , cidade a 358 quilômetros de Campo Grande. No local, a Superintendência Regional do Ministério do e Emprego em Mato Grosso do Sul e Ambiental encontraram os trabalhadores, sendo que, um é uma criança de 11 anos e outro adolescente de 17.

O dono da fazenda é acusado de envolvimento no que ficou conhecido como “Massacre de Caarapó” onde o agente de saúde Guarani Kaiowá Clodiode Aquileu Rodrigues de Souza foi assassinado. Cinco fazendeiros foram denunciados pelo MPF (Ministério Público Federal) neste caso .

O crime aconteceu em 2016, quando cinco proprietários rurais organizaram, promoveram e executaram o ataque à comunidade Tey Kuê. Os cinco fazendeiros apontados como responsáveis pela retirada forçada de indígenas da fazenda foram denunciados em outubro do mesmo ano pelo MPF e responderão pelos crimes de formação de armada, homicídio qualificado, tentativa de homicídio qualificado, dano qualificado e constrangimento ilegal.