O assassinato de um casal de jovens em Birigui, no interior de São Paulo, foi premeditado por Whashington Elias Reliquias de Souza Sarmento, de 29 anos, preso nessa sexta-feira em Pedro Juan Caballero, na fronteira com Ponta Porã. A informação é de um parente de uma das vítimas.

Segundo o relato do familiar, Whashington teria convidado Caroline Batista Froes, de 22, e Jimmy Pereira da Silva, de 21, para o local onde o casal foi assassinado. O duplo homicídio ocorreu no dia 23 de novembro, em uma casa no bairro Parque das Nações, na cidade paulista.

As vítimas não moravam no local. Os corpos apresentavam cortes profundos no pescoço e estavam cobertos por um lençol. Por telefone, Washington teria confessado o crime para a irmã dele, mas até o momento não se sabe o que motivou o duplo assassinato.

“Eles foram chamados pelo Whashington para uma possível festa, porém, cremos que ele já tinha tudo premeditado, pois tem áudios dele pedindo dinheiro em um grupo de WhatsApp para fugir”, disse o parente ao Ponta Porã News.

Tanto nas mensagens, quanto nos áudios, Whashington pede dinheiro aos ‘companheiros’, o que indica que ele já tinha cometido os assassinatos e estava prestes a fugir.

Em uma das mensagens ele diz. “Pelo amor de Deus mano tô me humilhando pedindo dinheiro em grupo tá ligado ma não é um grupo qualquer, é um grupo onde tá nossos parceiros das antigas […]”. Em outro trecho, o autor diz que precisa “juntar R$ 200, mas R$ 10, R$ 20 eu vou inteirando, mano”.

Como aconteceu a prisão

Segundo informações da Polícia Nacional do , o brasileiro foi abordado em atitude suspeita e prontamente disse que era do Brasil, e estava em território paraguaio ilegalmente.

Ele foi conduzido até a sede da de polícia em Pedro Juan Caballero e lá, ao verificar a documentação, os agentes constataram que se tratava de Whashington que já era procurando, tanto em território brasileiro, quanto no país vizinho.

O secretário municipal de de Ponta Porã, Marcelino Nunes, foi comunicado da prisão do autor e compareceu na sede da delegacia, confirmando a identidade do acusado.

Whashington Elias Reliquias de Souza Sarmento será expulso do Paraguai e entregue às autoridades brasileiras de Ponta Porã, onde deverá ser levado para São Paulo, que já investiga o caso. A data da expulsão ainda não foi definida pela Polícia Nacional.

Saiba Mais