Empresária paraguaia apontada como fornecedora da arma utilizada na execução do narcotraficante Jorge Rafaat foi presa na manhã desta quinta-feira (30), pela Polícia Federal em Ponta Porã, cidade a 313 quilômetros de .

Ela deverá ser extraditada ao Paraguai, onde ocorreu o crime, na cidade de Pedro Juan Caballero em junho de 2016. De acordo com a polícia, ela morava há 40 anos no Brasil.

A PF cumpriu o mandado de prisão preventiva com extradição, expedido pelo (Supremo Tribunal Federal). A empresária que não teve o nome divulgado, de acordo com a polícia, tem envolvimento com empresa investigada por tráfico internacional de armas, que teria fornecido a antiaérea calibre .50 usada executar Rafaat.

Ainda de acordo com informações, ela era vendedora de cosméticos no Brasil e dona de empresas que movimentavam bilhões de guaranis em lavagem de dinheiro do narcotráfico em torno de R$ 143 milhões, no Paraguai.

De acordo com o secretário segurança de Ponta Porã, Marcelino Nunes de Oliveira, o pedido de prisão partiu de uma investigação do Ministério Público e da Senad (Secretaria Nacional Antidrogas) do Paraguai, após contra narcotráfico em 2016 na cidade sul-mato-grossense.

Saiba Mais