Uma empresa de profissionalizantes, localizada na Rua Dom Aquino, em , foi autuada pelo crime de induzir o consumidor ao erro, na tarde dessa quarta-feira (15). A empresa utilizava o nome da Energisa para fazer anúncios de falsas vagas de jovem aprendiz, que na verdade era para venda de cursos, no valor de R$ 300 cada, já que a empresa não tinha ligação com a concessionária.

A autuação foi feita após policiais da Decon (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo) se passarem por jovens aprendizes com a intenção de concorrer a uma “vaga”. No local, foram encontradas duas funcionárias, encaminhadas para a delegacia, que confessaram a prática do crime. Duas mães e dois jovens, que também haviam marcado horário na empresa, foram levados para serem ouvidos como testemunhas.

A venda dos cursos ocorria após a empresa fazer anúncios nas , utilizando o nome da Energisa, com falsas vagas para jovem aprendiz. O interessado é chamado para fazer entrevista, mas ao chegar ao local recebe a comunicação de que não foi aprovado por não ter o perfil da concessionária.

Entretanto, a empresa oferece cursos profissionalizantes para qualificação, alegando que com a compra deles os jovens teriam mais chances de serem chamados para a “vaga”. Como as vítimas não eram convocadas, algumas delas chegaram a ir até a sede da própria Energisa.

Segundo o delegado Reginaldo Salomão, da Decon, a direção da concessionária procurou a delegacia para registrar a denúncia. “Uma das funcionárias da empresa autuada confessou que usa esse subterfúgio e a outra disse que realmente não presta todas as informações”, afirma.

Ainda conforme o delegado, o proprietário da empresa de cursos informou ter a adquirido em setembro do ano passado e que “o antigo proprietário já havia estruturado assim”. Salomão explica que os responsáveis não foram presos em flagrante devido a não terem vítimas no local no momento da abordagem policial. Os dois jovens não chegaram a ser chamados para atendimento.

Anúncio era feito nas redes sociais e prometia até 50 vagas para jovem aprendiz. (Foto: Leitor Midiamax)

Por isso, a Polícia Civil solicita que os responsáveis pelos adolescentes que tentaram a falsa oportunidade de emprego e pagaram pelos cursos, procurem a delegacia para registrar boletim de ocorrência.

Ainda segundo Salomão, a empresa possuía alvará de funcionamento e estava de acordo com a legislação para venda dos demais cursos. “O problema é como o consumidor está sendo levado até a empresa”, explica. As vítimas eram, na maioria das vezes, pais de jovens com renda de um salário mínimo, e que viam no pagamento do curso uma oportunidade para o primeiro emprego dos filhos.

As investigações apontam que a empresa estava há pelo menos 60 dias atuando no falso anúncio das vagas. Os cursos oferecidos eram de informática, digitação, introdução à TI (Tecnologia da Informação), criação de planilhas, robótica, jogos, marketing digital e gestão de mídias. “Espero que quem não registrou boletim de ocorrência nos procure. Às vezes a pessoa investe tudo o que tem, porque vai ser o primeiro salário do jovem”, pede o delegado.

A Decon está situada no segundo andar do , localizado na Rua 13 de Junho, quase esquina com a Rua Maracaju. Apesar do Procon-MS não estar aberto para atendimento ao público, após o homicídio ocorrido no interior da instituição na última segunda-feira (13), a Decon é o único setor que segue com funcionamento normal.

Em nota, a Energisa informou que obteve conhecimento de que terceiros estavam usando o seu nome para favorecimento ilegal. “A Companhia repudia veementemente o fato e está acompanhando as investigações em andamento pelos órgãos competentes.Adicionalmente, a Energisa explica que o único canal para acesso das vagas em aberto é o Energisa (grupoenergisa.com.br) e que não oferece nenhum tipo de treinamento pago ou solicita pagamento para participação em processos seletivos. As qualificações profissionais oferecidas pela Energisa são gratuitas, realizadas em parcerias com instituições de ensino reconhecidas no mercado, e também são divulgadas na página de carreiras da Companhia”.

*Editada às 13h51 para acréscimo de nota retorno da Energisa