Um homem foi ameaçado na manhã desta segunda-feira (9), na Avenida Duque de Caxias, em Campo Grande, quando fazia fotos em frente ao CMO (Comando Militar do Oeste), por manifestantes que ainda estavam acampados em frente ao quartel. O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, determinou a desmobilização de todos os acampamentos nas proximidades de unidades militares em todo o Brasil e a prisão em flagrante de todos os manifestantes nesses locais. 

O homem, que se identificou como , contou ao Jornal Midiamax que estava no local para fazer fotos da manifestação quando cerca de 30 pessoas o abordaram e dois homens fizeram ameaças, sendo que um deles fez menção de retirar uma pistola da cintura.

O homem ainda foi chamado de comunista pelos manifestantes. Com medo, o jornalista saiu correndo atravessando a avenida em direção ao CMO, na tentativa de obter ajuda. Os manifestantes depredaram seu veículo HB20, de cor preta, arrancando o retrovisor do carro. 

Uma viatura da polícia foi acionada para o local, mas a fugiu antes da chegada dos militares, não sendo identificada. 

Determinação do STF

O ministro do STF (Supremo Tribunal Federal), Alexandre de Moraes, determinou a desmobilização de todos os acampamentos nas proximidades de unidades militares em todo o Brasil e a em flagrante de todos os manifestantes nesses locais.

Na noite de domingo (8), a AGU (Advocacia-Geral da União) pediu ao Supremo a dissolução de todos os atos considerados antidemocráticos no Distrito Federal e nos estados. Pediu ainda a identificação dos incitadores nas redes sociais.

Desde 31 de outubro de 2022, manifestantes ocupam o canteiro central da Avenida Duque de Caxias, em frente ao CMO. Decisões anteriores forçaram a remoção de veículos estacionados na via. Ao longo dos últimos dois meses, manifestantes começaram a deixar de acampar no local.