Cinco testemunhas já foram ouvidas no caso da médica veterinária que caiu no córrego da Avenida Ernesto Geisel, em Campo Grande, no dia 6 deste mês. A médica veterinária já saiu da UTI (Unidade de Terapia Intensiva) e o seu estado de saúde apresenta melhoras.

Segundo a delegada AnaLu Lacerda, mais duas testemunhas deverão ser ouvidas na próxima semana e espera-se que a médica veterinária possa ser ouvida também, caso o quadro de saúde dela melhore. A sedação já está sendo retirada aos poucos da paciente.

A polícia investiga os momentos antes da médica veterinária ter caído no córrego para saber o que de fato ocorreu. Não é descartada a hipótese que ela tenha caído acidentalmente. O namorado dela, um guarda municipal, também foi ouvido, mas os depoimentos das testemunhas não foram revelados.

A queda no córrego

Informações passadas para o Jornal Midiamax são de que por volta das 3 horas da madrugada, a mulher teria pulado o muro da SAS (Secretaria de Assistência Social), pedindo socorro ao agente patrimonial, que tentou acalmá-la. 

Ele contou que a mulher disse que estavam a perseguindo para matá-la e que haviam roubado seu bebê recém-nascido. Quando o agente avisou que iria chamar a polícia, a mulher pulou o muro fugindo. Já por volta das 6 horas da manhã quando estava deixando o seu turno viu a mulher caída dentro do córrego.

Ela estava machucada e com bastante sangue. Em seguida, ele chamou os bombeiros que desceram no córrego para fazer os primeiros socorros e içar a vítima. Segundo o agente patrimonial, dois dias antes a mulher teria ido até a secretaria onde recebeu doações. Ela estava acompanhada de um homem.