A PMA (Polícia Militar Ambiental) de Miranda prendeu e autuou dois caçadores em R$ 2 mil e apreende dois queixadas abatidos, dois rifles, munições e motocicleta com chassi adulterado. Policiais ambientais realizavam fiscalização ambiental na rodovia MS-448 hoje (2) no final da manhã em prevenção aos crimes e infrações ambientais e para orientação às pessoas que se deslocam para a prática de nos rios e prenderam dois caçadores que estavam com dois animais silvestres da espécie queixada (Tayassu pecari) abatidos que eles haviam caçado com uso de armas de fogo no Pantanal.

De acordo com a polícia, a equipe abordou um veículo motocicleta Honda Titan 125, onde estavam os caçadores e encontrou dois rifles calibre 22, com três munições intactas do mesmo calibre, além dos dois animais abatidos. Os infratores confessaram que tinham usado as armas, que não tinham documentação, para a caça dos animais e que residiam na Aldeia La Lima.

Em vistoria nas características da motocicleta, para qual não havia documentos, os Policiais verificaram que o chassi do veículo havia sido suprimido, bem como a placa cortada, restando somente três letras. As armas, munições, a motocicleta e os animais abatidos foram apreendidos.

Os infratores, com 28 e 71 anos, residentes no município de Miranda, receberam voz de prisão e foram conduzidos, juntamente com o material apreendido, à de Polícia Civil de Miranda, onde eles foram autuados por crime ambiental de caça dos animais silvestres e por porte ilegal de arma de fogo. A pena para o crime ambiental é de seis meses a um ano de prisão e para o porte ilegal de arma é de dois a quatro anos de reclusão.

Os caçadores também foram autuados administrativamente e foram multados em R$ 1.000,00 cada um, pelo abate dos animais. A multa será julgada pelo Instituto de de Mato Grosso do Sul (Imasul). Caso seja identificada a origem da motocicleta, que certamente é produto de crime, eles responderão, no mínimo, pela receptação do veículo.

Saiba Mais