O professor de Física, de 58 anos, acusado de abusar de duas alunas de 10 e 11 anos, na última semana, em , a 338 quilômetros de , já tinha cometido o mesmo crime em 2022, o que foi confirmado pela direção da escola em registro de boletim de ocorrência. O caso foi registrado como estupro de vulnerável.

Mas, o caso não teria sido investigado e nenhuma providência tomada pela escola, já que os pais da aluna não registraram boletim de ocorrência contra o professor. Na última semana, o pai de uma das alunas assediadas procurou a delegacia. 

Segundo informações do relato, as alunas estavam na quadra quando saíram correndo e chorando, sendo indagadas sobre o que havia ocorrido. Umas das meninas contou que o professor passou as mãos em suas pernas, costas, nos seios e depois ainda puxou seu cabelo. 

A de uma das meninas teria sido orientada pela escola a registrar um boletim de ocorrência para poderem tomar providências em relação ao professor. 

O Jornal Midiamax entrou em contato com a escola, mas fomos informados que a direção não poderia falar sobre o ocorrido. Também entramos em contato com a SED (Secretaria Estadual de Educação) para saber se providências, como afastamento do professor, foram tomadas, e segundo a secretaria o professor foi afastado. Confira a nota:

“O profissional já foi afastado, a já deu início a abertura de um Processo Administrativo Disciplinar (PAD), para tomar todas medidas cabíveis ao ocorrido. A equipe da Coordenadoria de Psicologia Educacional já está ciente do ocorrido e prestando todos os atendimentos de apoio aos estudantes.”

Saiba Mais