Ronald Aguirre Dias, de 22 anos, executado com mais de 10 tiros, na noite desse sábado (5), na cidade de Deodápolis, a 260 quilômetros de Campo Grande, tinha passagens por tráfico de drogas e receptação. Em uma das vezes foi preso por equipes da PRF (Polícia Rodoviária Federal).

A execução aconteceu quando Ronald voltava com a esposa de 18 anos e um bebê para casa em um Ford Ka. Ele foi executado com mais de 10 tiros na frente da companheira, que foi atingida por um dos disparos na perna. 

Ronald tem passagens que começam em 2018 por tráfico de drogas e receptação. Ele já chegou a ser preso por policiais rodoviários federais, no dia 17 de outubro de 2018, quando estava carregando mais de 1 tonelada de maconha em um veículo Corolla.

Ele acabou preso na BR-163 em uma estrada vicinal após os policiais receberem a informação sobre o carregamento da droga. O Corolla foi encontrado abandonado na estrada e Ronald localizado pelos agentes. Na época, ele contou que estava esperando apoio após o carro apresentar pane.

A droga seria levada para Goiás e no carro estavam 891 tabletes de maconha que pesaram mais de 1 tonelada da drogas.

A execução de Ronald

O pai do rapaz de 41 anos procurou o pelotão da polícia logo após o crime e contou que todos estavam em uma festa de aniversário quando por volta das 23h50 voltavam para casa.

Ao chegarem em casa e Ronald ir entrar na residência foi surpreendido pelos autores que estavam escondidos a sua espera. O autor armado com uma pistola foi me direção a Ronald fazendo vários disparos. A vítima tentou fugir com o carro, mas acabou perdendo o controle e entrando em terreno baldio próximo.

O autor, então, foi até o carro novamente e fez mais disparos contra Ronald atingindo a esposa da vítima na perna. A mulher disse que ao descer do carro ainda teve a arma apontada em sua direção, mas acredita que não foi morta por que as balas teriam acabado. Vários projéteis deflagrados foram apreendidos pela perícia.

Logo após o crime, o autor fugiu em um Fiat Uno, de cor prata. Não se sabe os motivos para o assassinato, investigado pela polícia.