Delegado preso em operação do Gaeco diz que armamento estava registrado e guardado em cofre

Foram encontradas 114 munições na casa do delegado
| 06/07/2022
- 11:52
Delegado preso em operação do Gaeco diz que armamento estava registrado e guardado em cofre
Imagem ilustrativa - Arquivo/Henrique Arakaki

O delegado Rodrigo Blonkowski, solto após pagar fiança depois de sua prisão, na segunda fase da Operação Codicia pelo (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado), deflagrada nessa terça-feira (5), após cumprimento de mandados de busca e apreensão, em nota afirmou que as munições apreendidas em sua casa estavam registradas.

O delegado foi solto após pagamento de fiança de R$ 3 mil. Na nota, Rodrigo afirma que há mais de 8 anos é CAC (Colecionador, Atirador, e Caçador), e que as munições estavam guardadas dentro de um cofre e tudo seria registrado. O delegado afirma ser inocente e que nuca praticou crimes de corrupção. 

Sobre o fato de ter sido intimado para prestar depoimento no Gaeco, no dia 26 de abril como testemunha, Rodrigo afirmou que foi proibido de entrar arnado, por isso, não depôs já que foi intimidado na qualidade d delegado de polícia e seria sua prerrogativa entrar armado.  

A nota diz: “Com relação à apreensão de munições, ressalte-se que foram encontradas junto ao cofre da família 79 munições de calibre .22 e 3 munições de calibre 9mm de origem estrangeira. É inverídica a informação repassada pelo Gaeco de “114 munições de diversos calibres” e que estas “estariam embaixo da cama de casal”. Tal fato pode ser verificado na oitiva dos policiais que atenderam a ocorrência.”

Delegado foi afastado

O delegado ficará afastado de suas funções enquanto perdurar as medidas impostas pela Justiça. Foi determinada o recolhimento das armas, carteira funcional e a suspensão das senhas e logins de acesso aos bancos de informações da instituição policial.

O afastamento foi assinado pelo Corregedor-geral da Polícia Civil, Clever José Fante Esteves.

Mandados de busca e apreensão

Policiais militares do Gaeco (Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado) cumpriram mandado de busca e apreensão na casa do delegado, onde foram encontradas 114 munições de diferentes calibres, sem o devido registro. Assim, ele acabou preso em flagrante.

O delegado foi autuado por possuir ou manter sob sua guarda de fogo, acessório ou munição, de uso permitido, em desacordo com determinação legal ou regulamentar. Foi arbitrada fiança de R$ 3 mil pelo delegado responsável pelo flagrante, Wilton Vilas Boas.

Veja também

Idoso foi agredido dentro da própria casa, levado para o hospital de Bela Vista e depois encaminhado para Campo Grande

Últimas notícias