Coronel dos Bombeiros preso por violência doméstica contra ex-mulher vai usar tornozeleira eletrônica

Será fornecido botão do pânico para a vítima, que mora em Campo Grande
| 31/05/2022
- 14:15
Coronel dos Bombeiros preso por violência doméstica contra ex-mulher vai usar tornozeleira eletrônica
Coronel foi levado para a Deam - Foto: Ilustrativa / Leonardo de França, Midiamax

Foi concedida liberdade provisória ao coronel do Corpo de Bombeiros, de 55 anos, em flagrante na manhã de segunda-feira (30) por violência doméstica contra a ex-mulher. Ele vai ser monitorado por tornozeleira eletrônica e está proibido de se aproximar da vítima, devendo manter distância mínima de 300 metros.

Conforme detalhado na audiência de custódia desta terça-feira (31), foi decretado imediato afastamento da residência em que ele convivia com a vítima. O coronel não pode se ausentar sem a prévia comunicação ao juiz competente do processo, nem pode se aproximar da vítima ou manter contato com ela.

O bombeiro deve manter distância mínima de 300 metros da ex-mulher, exceto com expressa permissão. Além disso, passa a ser monitorado por tornozeleira eletrônica, não podendo também se aproximar a menos de 300 metros da casa da vítima. Ele usará o aparelho por 90 dias, sendo então autorizada a retirada, salvo determinação judicial em contrário.

Por fim, foi fornecido ‘botão do pânico’ para a vítima, a Unidade Portátil Móvel, devendo ela ser notificada das obrigações no momento da ativação do dispositivo.

Coronel já foi punido por conduta semelhante

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul informou em nota que o coronel já foi punido administrativamente por esse tipo de conduta anteriormente. Sobre a prisão em questão, foi relatado que assim que a Corporação for notificada, vai apurar a conduta do bombeiro e tomar as medidas disciplinares cabíveis.

Por fim, o Corpo de Bombeiros Militar salienta que não compactua com esse tipo de conduta”, diz a nota.

Militar tem passagens por violência doméstica

Conforme apurado pelo Midiamax, em 5 dias dois boletins de ocorrência foram registrados contra ele na Deam ( Especializada de Atendimento à Mulher). Ele já tem outras passagens por violência doméstica.

Em junho de 2021, a vítima foi até a Deam três vezes — nos dias 4, 9 e 29. Foram registrados boletins de ocorrência por ameaça e descumprimento de medida protetiva. Em maio do ano passado, o coronel foi denunciado por lesão corporal dolosa contra a mulher.

Em abril deste ano, a vítima voltou novamente à delegacia para o registro de boletim por injúria. Em um dos episódios, ela foi agredida com puxões de cabelo e apertões, deixando marcas aparentes em seus braços. A violência doméstica teria ocorrido após a mulher flagrar no celular do coronel várias fotos de mulheres seminuas e questioná-lo sobre os fatos.

Já em caso anterior, em julho de 2017, outra ex-mulher do coronel procurou a delegacia para denunciá-lo por injúria. Em depoimento, a vítima contou na época que teve que fazer tratamento psicológico devido aos traumas causados pelo militar, com quem foi casada por mais de 20 anos. A mulher contou que foi agredida verbalmente pelo marido e também fisicamente.

Coronel preso em flagrante

Nesta segunda (30), o militar acabou preso quando tentava impedir a ex-mulher de se mudar da casa em que viviam. Ele foi interrogado na Deam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher) e encaminhado ao Presídio Militar, onde aguardou pela audiência de custódia.

O coronel foi preso pelos policiais militares que ele mesmo chamou, ao tentar impedir a ex-mulher de retirar os móveis da casa. Ela estava se mudando após a separação, mas nada poderia ser feito pelos policiais.

Durante o atendimento da ocorrência, o coronel chegou ao local e começou a filmar com o celular. Como descumpriu medida protetiva, mesmo tendo sido orientado anteriormente pelos militares, foi preso em flagrante.

Ele foi autuado pelo descumprimento da medida protetiva, bem como por violência psicológica e perseguição.

Veja também

Últimas notícias