‘Ainda tenho esperança de ver meu pai’, diz filha de garagista desaparecido há dois meses em Campo Grande

Após o desaparecimento de ‘Alma’, carros do garagista foram encontrados em um desmanche
| 04/02/2022
- 16:33
‘Ainda tenho esperança de ver meu pai’, diz filha de garagista desaparecido há dois meses em Campo Grande
(Reprodução)

A família do garagista Carlos Reis Medeiros ainda busca resposta para o sumiço de ‘Alma’, que desapareceu no dia 30 de novembro quando saiu de casa, no bairro Tiradentes, após sair para trabalhar e não dar mais notícias.

A filha de Carlos, contou ao que a família não vai ter paz enquanto não saberem o que aconteceu com Carlos, “Não temos mais paz, eu e meus irmãos, mas ainda temos esperança dele voltar para casa vivo”, disse a mulher.

A jovem ainda disse que a polícia afirmou que as investigações continuam em andamento, e que quando tiverem algo irão contactar a família. Para a família, muitos iriam se beneficiar com a morte de Carlos, já que os devedores não precisariam pagá-lo. 

Um vídeo chegou a ser divulgado na época, onde o garagista foi visto pela última vez conversando com um homem. Em dezembro de 2021, um homem chegou a ser detido suspeito pelo desaparecimento de ‘Alma’. O homem revelou, na época, que devia R$ 3 mil para a vítima. Além dele, outro suspeito estaria devendo aproximadamente R$ 5 mil, mas eles alegaram que não tinham envolvimento com o sumiço de Carlos.

Durante o depoimento, o homem confessou que conhecia Carlos e alegou que ele era um agiota forte em Campo Grande. Ele ainda revelou que tinha uma dívida de R$ 3 mil com Carlos, mas que o valor seria irrisório, comparado a outros empréstimos que a vítima faz. Ainda segundo o suspeito, o colega que estava no carro na abordagem também devia a Carlos, aproximadamente R$ 5 mil. No entanto, tanto ele quanto o outro ocupante do veículo, que não foram presos por não terem nada ilícito contra eles, trabalhavam nas vendas dos carros de Carlos.

Assim, eles estariam ‘perdendo dinheiro’ com o desaparecimento de Carlos, já que ganhavam comissão na revenda dos veículos do garagista. 

Carros encontrados em desmanche

No dia 1º de dezembro, 10 carros foram encontrados em um desmanche, na Travessa Pompéu, região do Jardim Centro-Oeste em Campo Grande. Quatro pessoas flagradas no desmanche entraram em contradições. No local, eles chegaram a dizer que compraram os carros por R$ 15 mil em um site de vendas.

Desaparecimento de Carlos

A esposa do garagista procurou delegacia em Campo Grande, na noite do dia 30 de novembro de 2021, após o marido desaparecer ao sair para trabalhar. A caminhonete dele foi encontrada em um depósito.

Informações da ocorrência são de que o comerciante saiu com sua caminhonete S-10 por volta das 8 horas da manhã de terça (30) para resolver problemas do trabalho. A esposa tentou contato com o marido pelo telefone sem sucesso. 

Na época, ela contou que, recentemente, Carlos mudou os veículos de local. Os carros estavam na e foram levados para um terreno na rua Babilônia, na lateral do Asilo Dom Bosco, no Bairro Tiradentes ao lado de uma igreja. 

No início da noite de terça, a esposa e os filhos de Carlos estiveram na garagem e visualizaram um guincho recolhendo dois veículos. O motorista do guincho, perguntado sobre a vítima, teria informado que o garagista estaria na região da Avenida Bandeirantes. A polícia segue investigando o caso.

Veja também

Foto mostra perfuração de disparo de arma de fogo contra helicóptero da Casa Militar, do...

Últimas notícias