Polícia

Rapaz deixado na MS-060 após espancamento diz que trio perguntava “é ele mesmo?”

Rapaz, de 25 anos, que foi deixado com sinais de espancamento próximo à cachoeira do Inferninho, na MS-060, disse que foi “guardado” no porta-malas. Enquanto ficou preso, por cerca de 15h, ele teria ouvido integrantes do bando perguntarem uns aos outros “é ele mesmo?”. Ainda conforme a vítima, ele foi pego no Bairro Residencial Oliveira […]

Danielle Errobidarte Publicado em 19/01/2021, às 18h11 - Atualizado em 20/01/2021, às 08h26

Ele foi socorrido próximo a MS-060. (Foto: Leitor Midiamax)
Ele foi socorrido próximo a MS-060. (Foto: Leitor Midiamax) - Ele foi socorrido próximo a MS-060. (Foto: Leitor Midiamax)

Rapaz, de 25 anos, que foi deixado com sinais de espancamento próximo à cachoeira do Inferninho, na MS-060, disse que foi “guardado” no porta-malas. Enquanto ficou preso, por cerca de 15h, ele teria ouvido integrantes do bando perguntarem uns aos outros “é ele mesmo?”.

Ainda conforme a vítima, ele foi pego no Bairro Residencial Oliveira por volta das 15h desta segunda-feira (18), colocado no porta-malas e desmaiou. Um perguntava ao outro se o rapaz era “a pessoa certa”, e ele chegou a escutar quando falaram “acho que sim”. Em seguida, teriam batido em sua cabeça e ele não ouviu mais nada.

Segundo a Polícia Militar, equipe foi acionada junto com o Corpo de Bombeiros, após o rapaz ser encontrado no acostamento da via, ferido. Ele estava com várias lesões pelo corpo e foi socorrido pelos bombeiros, mas antes entrevistado rapidamente pelos policiais.

Ele foi encontrado na MS-060, próximo à cachoeira do Inferninho e havia sido deixado inconsciente no local. O caso é inicialmente tratado como lesão corporal dolosa, quando há intenção, e investigado pela 2ª Delegacia de Polícia Civil.

Jornal Midiamax