Polícia

Polícia não descarta que assassino de mãe e filha tenha fugido para o Paraguai

Antônio teria usado duas armas para assassinar as mulheres

Thatiana Melo Publicado em 11/05/2021, às 08h10

None
(Foto: Ponta Porã Informa)

A Polícia Civil de Ponta Porã, distante 346 quilômetros de Campo Grande, não descarta que Antônio César Cavalheiro Soares, assassino de Érika Rodrigues Salomon, sua ex-sogra, e de Naila Vitória Rodrigues de 20 anos, esteja em solo paraguaio. As duas mulheres foram assinadas a tiros no último dia 4 de maio.

Segundo a delegada que cuida do caso, Marianne Cristine da Dam (Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher), vários endereços foram revistados pelos policiais em solo brasileiro, que não o encontraram. A delegada ainda disse que é possível que Antônio esteja do lado paraguaio pela proximidade com a fronteira, mas que as buscas ainda continuam.

Os crimes

Érika foi morta em frente ao mercado e teria pedido para que o autor não a matasse, sendo executada a sangue frio com tiros na cabeça. Já a filha Naila foi assassinada com pelo menos três tiros quando chegava para trabalhar no Hospital Regional de Ponta Porã.

No dia 1º de abril, Naila havia registrado um boletim de ocorrência que a teria agredido com chutes e até cuspido em seu rosto fazendo ameaças de morte. No dia das agressões, Antônio teria fugido com o bebê de 5 meses do casal.

Após o assassinato, Antônio teria fugido em uma motocicleta de placa paraguaias. A filha de 12 anos de Érika foi resgatada no dia do crime por policiais e está na casa de parentes.

Jornal Midiamax