PF pede prisão preventiva de integrantes de grupo terrorista paraguaio que matou brasileiro

Os quatro acusados estão envolvidos no sequestro e morte de Jorge Manuel Rios Barreto, de 24 anos
| 11/11/2021
- 10:09
Rapaz visitava a propriedade dos pais quando foi levado pelos sequestradores
Rapaz visitava a propriedade dos pais quando foi levado pelos sequestradores - Reprodução/redes sociais

A Polícia Federal encaminhou ao Juízo da Comarca de , em Mato Grosso do Sul, pedido de preventiva de quatro cidadãos paraguaios. Eles são acusados de fazer parte do ACA-EP (Grupo Terrorista Paraguaio Agrupação Campesina Armada – Exército Popular), que sequestrou e matou o brasileiro Jorge Manuel Rios Barreto, de 24 anos, na fronteira com Bela Vista no Mato Grosso do Sul.

O Inquérito tramita na Delegacia da Polícia Federal em Ponta Porã. A investigação está sendo conduzida em conjunto com o Departamento Antissequestro da Polícia Nacional do Paraguai. O sequestro ocorreu em 28 de junho, na cidade de Sargento José Félix López, conhecida como Puentesiño, Departamento de Concepción no Paraguai, próximo à fronteira com o Brasil.

O Grupo Terrorista paraguaio ACA-EP exigiu a quantia de US$ 200.000,00 (duzentos mil dólares) pela libertação da vítima. No entanto, mesmo a família afirmando que pagaria o valor pedido, no dia 3 de julho, a vítima foi executada com um tiro na cabeça. Seu corpo foi encontrado por pescadores da região às margens do Rio Apa, que fica na divisa entre o Brasil e Paraguai.

Veja também

Passageiro alega que pediu ao motorista que parasse o carro para ele urinar

Últimas notícias