Polícia

Homem encontrado com sinais de espancamento em kitnet pode ter sido morto por dívida de drogas

Familiares da vítima ainda não foram encontrados, 24 horas após a morte

Danielle Errobidarte Publicado em 07/10/2021, às 17h32

None
(Foto: Leonardo de França - Jornal Midiamax)

A Polícia Civil apura se Manoel Vilas Boas Júnior, de 49 anos, pode ter sido morto por dívidas com drogas. Ele foi encontrado com sinais de espancamento na tarde desta quarta-feira (6) no Bairro Jardim Imperial, em Campo Grande, por vizinhos. Uma das testemunhas relatou ter visto um homem pisotear a cabeça de Manoel,horas antes do corpo ser encontrado na kitnet onde ele morava.

A investigação já avançou e os policiais já identificaram o suspeito, que teria entrado na residência. Contudo, não foram encontrados familiares da vítima, mesmo 24 horas após o crime. Testemunhas que presenciaram a discussão disseram que o crime pode ter sido cometido em razão de dívida. Não foram localizados entorpecentes no imóvel, durante a perícia.

Um casal de vizinhos relatou o ocorrido à Polícia Militar, após Manoel ter sido encontrado morto. Segundo eles, por volta das 18h de ontem (5), um homem teria chegado à kitnet e conversado com os dois. Por volta das 18h30, Manoel chegou em casa e, após também conversar com o casal, entrou no imóvel.

Ainda segundo as testemunhas, o suspeito foi até a casa da vítima, localizada nos fundos da vila de kitnets, e começou uma discussão com Manoel. Ao escutar os barulhos, o casal foi até a casa da vítima e presenciou o suspeito pisando várias vezes contra o rosto de Manoel, que estava deitado no chão.

Conforme explicado pela mulher aos policiais, ela e o marido retiraram o suspeito do local, mas ele teria retornado à casa, agredindo Manoel pela segunda vez. Por fim, informaram que, após a última agressão, o homem teria dito "já falei com ele e agora está tudo resolvido". O caso foi registrado como morte a esclarecer e é investigado pela 2ª Delegacia de Polícia.

Sinais de espancamento

A perícia afirmou ao Jornal Midiamax que Manoel estava em situação de rigidez cadavérica,com escoriações na face e no nariz. Contudo, o corpo será encaminhado para o IMOL (Instituto de Medicina e Odontologia Legal) para determinar a causa da morte.

A vítima não portava documentos pessoais e o perito informou que também será apurado se as lesões podem ser de luta corporal. "Essas marcas podem ser de espancamento ou uma possível luta corporal, porque ele tem características de alguns golpes na face".

O filho do proprietário do conjunto de duas kitnets relatou ter recebido áudio de uma moradora dizendo que o homem estava passando mal. Ele chegou a ir até o imóvel e chamar pela vítima, por volta das 8h, mas não foi atendido. Ao retornar, perto das 11h30, encontrou o corpo.

Segundo ele, o homem chegou a sua oficina mecânica pedindo ajuda para conseguir "bicos". O rapaz, então, teria oferecido alguns trabalhos para a vítima com serviços gerais. "Não conhecia ele, era muito calado. A única coisa que sei é que tinha problemas com bebida alcoólica", afirmou.

Jornal Midiamax