Polícia

Defesa tenta anular processo contra ex-vereador preso por estupro durante operação

É aguardada decisão sobre recurso especial

Renata Portela Publicado em 18/05/2021, às 15h09

Robson foi condenado a mais de 8 anos de prisão
Robson foi condenado a mais de 8 anos de prisão - (Arquivo, Midiamax)

Condenado a mais de 8 anos de prisão por envolvimento em esquema de corrupção de menores em Campo Grande, o ex-vereador Robson Leiria Martins ainda aguarda decisão sobre recurso especial interposto pela defesa. Robson foi preso nesta terça-feira (18) durante a Operação Araceli, em que foram cumpridos mandados de prisões contra autores de estupro de vulnerável.

Robson foi condenado e teve mandado de prisão expedido em novembro de 2020, conforme publicado pelo Jornal Midiamax na época. O ex-vereador foi condenado a 8 anos, 6 meses e 20 dias e deve cumprir pena em regime fechado, já que o processo transitou em julgado. O advogado José Roberto Rosa afirmou que ainda aguarda decisão de recurso especial.

Advogado José Roberto Rosa (Arquivo)

Conforme o advogado, o recurso especial é contra a decisão do TJMS (Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul), que negou provimento à ação de revisão criminal. A intenção inicial é de anulação do processo, ou absolvição do réu ou a redução da pena. Preso nesta terça-feira, Robson aguardará a decisão detido.

Escândalo sexual e corrupção de menores

Robson foi flagrado tentando extorquir Alceu Bueno em maio de 2015, no estacionamento de um supermercado de Campo Grande. Ele chegou a ser preso por participação no esquema de exploração sexual de adolescentes, mas alegou que se tratava de golpe político. Após 40 dias preso, ele teve liberdade concedida.

Na época, ele chegou a alegar que estava acompanhando Alceu Bueno (assassinado no ano seguinte) até o supermercado. As investigações apuraram, no entanto, que ele teria pedido R$ 15 mil para não divulgar fotos e vídeos de Bueno em que ele aparecia com as adolescentes.

Robson Martins chegou a dizer em entrevista que o nome dele havia sido envolvido no escândalo por “força oculta”. Após o escândalo sexual e de corrupção de menores que envolvia vereadores da Capital, Alceu Bueno renunciou ao cargo.

Operação Araceli

Durante a força-tarefa feita nesta terça-feira, contra abuso de crianças e adolescentes, foram presos o ex-vereador no bairro Aero Rancho e uma mulher de 53 anos, no Santa Emília. A filha da detida era vítima, mas não foram repassados detalhes sobre o crime.

Foram cumpridos 27 mandados de busca e apreensão e um preso em flagrante por posse de munição. Os alvos estavam nos bairros Canguru, Centenário, Aero Rancho, São Conrado, Santa Emília, Noroeste, Tarumã, Inápolis e Zé Pereira. Um assessor parlamentar também acabou preso, mas o nome não foi revelado.

Na última semana foram presas cerca de 10 pessoas também investigadas na operação. Segundo o promotor Marcos Alex, os presos da operação são pessoas já condenadas pelos crimes contra criança e adolescente, na maior parte de violência sexual. O objetivo é fazer com que comecem a cumprir as penas já impostas a eles. “São condenados por sentença definitiva”, disse.

Araceli Crespo

A data foi determinada oficialmente pela Lei 9.970/2000, em memória à menina Araceli Crespo, de 08 anos de idade, que foi sequestrada, violentada e assassinada em 18 de maio de 1973. O Comitê Nacional de Enfrentamento à Violência Sexual de Crianças e Adolescentes incentiva que em todo o Brasil sejam realizadas ações que visem alertar toda a sociedade sobre a necessidade da prevenção à violência sexual.

Jornal Midiamax