Polícia

Casa de reza Guarani Kaiowá é incendiada em MS e indígenas denunciam crime

“Estamos tristes porque é nosso templo sagrado. Com muito sacrifício erguemos e agora num piscar de olho foi queimado”, afirma Elizeu Guarani, coordenador da Articulação dos Povos Indígenas

Nathália Rabelo Publicado em 03/10/2021, às 11h08

Incêndio na Casa de reza Guarani Kaiowá, em Amambai
Incêndio na Casa de reza Guarani Kaiowá, em Amambai - Foto: Reprodução/Twitter

Uma casa de reza do povo Guarani Kaiowá na Aldeia Guapo’y, em Amambai (MS), foi incendiada e totalmente destruída na madrugada de sábado (2). A denúncia é da Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib), que afirma que o incêndio no espaço sagrado dos indígenas foi uma ação criminosa.

“Estamos tristes porque é nosso templo sagrado. Com muito sacrifício erguemos e agora num piscar de olho foi queimado”, afirmou Elizeu Guarani, coordenador executivo da Apib e da Assembleia Geral do povo Kaiowá e Guarani (Atyguasu).

“Venho aqui desabafar porque todos nós empenhamos para levantar essa construção da nossa casa sagrada, enquanto que muitos criticam e não nós ajudaram a levantar, desde então ela vinha sofrendo ameaças por pessoas que não apoiam a cultura tradicional”, completou o líder indígena.

Ainda não há informações sobre suspeitos de terem cometido o crime. O incêndio de espaços ligados aos indígenas no Mato Grosso do Sul, no entanto, é recorrente. Entre janeiro e março de 2020, duas casas de reza foram queimadas: uma na Aldeia Jaguapiré e outra na comunidade Laranjeira Nhanderu

Confira o incêndio que ocorreu no sábado:

Jornal Midiamax