Polícia

Após recurso, Justiça mantém 32 anos de prisão a ex que quase decepou mãos de mulher em MS

Gabriel Matos tentou matar a ex enquanto ela dormia ao lado do filho do casal

Thatiana Melo Publicado em 27/10/2021, às 11h19

None
(Arquivo)

Após ir a julgamento por tentar matar a ex-mulher, de 20 anos, em Costa Rica, a 384 quilômetros de Campo Grande, a defesa de Gabriel Matos da Silva, pediu pela nulidade do júri que aconteceu em agosto deste ano o condenando a 32 anos de prisão.

A defesa pediu pela nulidade suscitada para reconhecer como deficitária a defesa técnica do requerente conduzida pela Defensoria Pública, além de declarar nulo todos os atos processuais praticados desde o último ato que precedeu a apresentação das alegações finais. O pedido ainda diz que sentença deve ser declarada nula por ser contrária às provas contidas nos autos.

Mas, a Justiça negou o recurso e, na última segunda-feira (25), em decisão monocrática, manteve a condenação de Gabriel, que foi preso no Tocantins, onde estava foragido após o crime.

Entre os dias 16 e 17 de maio de 2020, Gabriel manteve a ex-mulher em cárcere privado, a ameaçou e ainda a estuprou. Após isso, no dia 11 de junho, o autor invadiu a casa da vítima com um facão de corte de cana e tentou matar a mulher.

A jovem estava no quarto com o filho de 2 anos do casal, já dormindo, quando o autor arrombou a porta e desferiu golpes contra a vítima, que para se defender colocou as mãos na frente quase sendo decepada pelos golpes. A mulher tinha medidas protetivas contra Gabriel.

Fuga para Tocantins

Após o crime, Gabriel fugiu para sua cidade natal, Tocantins, onde foi preso dias depois. A vítima foi socorrida por um vizinho, que a levou para a Fundação Hospitalar de Costa Rica, onde recebeu os primeiros atendimentos.

Mas, devido à gravidade das lesões sofridas, a vítima teve de ser imediatamente encaminhada à Santa Casa de Campo Grande, em regime de “vaga zero”, onde permaneceu internada por uma semana, e passou por duas cirurgias para evitar a perda das mãos, conforme prontuário médico.

Jornal Midiamax