Polícia

Antes de matar a tiros e facadas, funcionário teria dito que dono de conveniência era como um ‘pai’

Antes de matar com dois tiros e com golpes de faca, Hugo Gonçalves Insabralde de 29 anos, na noite desta segunda-feira (4), na Avenida Panamericana, no bairro Danúbio Azul, em Campo Grande, o suspeito do crime – um de seus funcionários – teria dito a mãe da vítima que o comerciante era como um ‘pai’ […]

Thatiana Melo Publicado em 05/01/2021, às 08h28 - Atualizado às 17h12

(Henrique Arakaki, Midiamax)
(Henrique Arakaki, Midiamax) - (Henrique Arakaki, Midiamax)

Antes de matar com dois tiros e com golpes de faca, Hugo Gonçalves Insabralde de 29 anos, na noite desta segunda-feira (4), na Avenida Panamericana, no bairro Danúbio Azul, em Campo Grande, o suspeito do crime – um de seus funcionários – teria dito a mãe da vítima que o comerciante era como um ‘pai’ para ele.

A mãe de Hugo, Cecília Gonçalves de 49 anos, disse ao Jornal Midiamax que antes de cometer o assassinato, o suspeito estava reunido junto de todos na conveniência já que trabalhava no estabelecimento como gerente. “Ele (autor) fez pastéis para todos e ainda me disse que considerava meu filho como um pai, já que havia dado emprego e moradia para ele”, disse a dona de casa.

Cecília acredita que a briga que acabou na morte de seu filho tenha sido gerada por dinheiro, já que segundo a dona de casa Hugo era muito certo com a contabilidade de seu comércio e pode ter descoberto um possível desvio do caixa, que era de responsabilidade do suspeito.

A mãe da vítima, que segurava uma foto do autor, disse que espera por Justiça e que o suspeito seja encontrado. A esposa de Hugo acabou sendo hospitalizada depois de passar mal ao ver o marido morto.

O dono do prédio, que não quis se identificar, contou que o contrato de locação do local com Hugo terminaria em fevereiro deste ano e que todos na região conheciam a vítima. “Hugo sempre ajudava as pessoas, era uma pessoa muito boa”, falou o homem.

Ainda de acordo com o dono do prédio, o autor era amigo de anos de Hugo. O suspeito estava trabalhando no local há 5 meses, e segundo informações estava dormindo na conveniência após a separação, já que não tinha local para ficar.

O crime

O crime aconteceu por volta das 20 horas desta segunda (4),  quando Hugo teria tido uma discussão com um funcionário da conveniência, que era proprietário. Durante a briga, esse possível funcionário de posse de uma faca e um revólver investiu contra Hugo o acertando com dois tiros na cabeça.

A vítima ainda tinha uma perfuração de faca no pescoço e mais uma perfuração nas costas. O corpo de Hugo estava ao lado de seu veículo BMW e um cabo de uma faca foi localizado próximo ao meio-fio e a lâmina da aca perto da cabeça da vítima. Também no local foram encontrados vários pedaços de tacos de sinuca quebrados.

No bolso de Hugo foi encontrado o valor de R$ 1.070 entregues a seu irmão. Testemunhas teriam dito aos policiais que o suspeito fugiu em um Gol, de cor branca, e segundo informações, o funcionário dormia no comércio e trabalhava durante o expediente. Não se sabe os motivos da briga que acabou em assassinato. Imagens de câmeras de segurança do local podem ter gravado o homícidio.

Jornal Midiamax