Polícia

Adolescente pode ter sido morto na Unei em MS por ser flagrado com fuzil de mira telescópica

Polícia investiga participação de traficante citado por adolescente na morte do vereador Farid Afif

Danielle Errobidarte e Marcos Morandi Publicado em 30/11/2021, às 07h58

None
Corpo do rapaz foi encontrado com a cabeça dilacerada - Divulgação

O adolescente, de 17 anos, Wesley Agostinho da Silva, morto a tiros de fuzil nesta terça-feira (30) após ser retirado à força da Unei Mita, em Ponta Porã, na fronteira com Pedro Juan Caballero, pode ter sido morto após a "falha" no transporte de um fuzil, que teria sido enviado por um traficante.

Conforme apurado pelo Jornal Midiamax, Wesley relatou ao ser apreendido em Sanga Puitã, distrito de Ponta Porã, que teria conseguido o fuzil com mira telescópica 762 com um traficante da região de fronteira. Ele seria responsável por levar o armamento até Ponta Porã. Contudo, foi capturado no trajeto.

As polícias dos dois países investigam a participação do traficante citado por Wesley na morte do vereador Farid Afif, no dia 8 de outubro, e se o adolescente foi morto após não ter cumprido com a tarefa de levar o armamento até a cidade da fronteira.

Executado a tiros de fuzil

O bando de pelo menos seis homens, que estavam armados com fuzis, rendeu os agentes socioeducativos que estavam no local. Eles foram imobilizados pelos braços com uma fita preta, que também foi usada para retirar o adolescente.

O corpo de Wesley foi encontrado na rua das Flores, no Jardim independência. De acordo com informações do Ponta Porã News, a vítima foi executada com dezenas de tiros de fuzil principalmente na cabeça.

Segundo informações até agora apuradas pela polícia de Ponta Porã, Wesley tinha sido apreendido no último dia 19 pelo Defron (Departamento de Operações de Fronteira). Na ocasião, ele estava com um fuzil, uma pistola 9 milímetros, luvas e 5 toucas ninja.

Jornal Midiamax