Polícia

Acusado de sequestrar e obrigar mulher a comprar R$ 4 mil em roupas vai ficar preso

Ele foi reconhecido por causa da tatuagem de Pateta

Renata Portela Publicado em 17/06/2021, às 13h10

Roupas compradas no cartão da vítima foram apreendidas
Roupas compradas no cartão da vítima foram apreendidas - (Divulgação, PCMS)

Foi determinada prisão preventiva do homem de 34 anos, preso em flagrante por sequestrar e roubar uma técnica de enfermagem, nas proximidades da Santa Casa, na manhã de terça-feira (15). Ele acabou identificado por conta de uma tatuagem de Pateta e foi detido horas depois, com várias roupas que comprou usando o cartão da vítima durante o sequestro.

A decisão do juiz Alexandre Antunes da Silva em audiência de custódia nesta quinta-feira (17), foi de converter o flagrante em prisão preventiva. Foi observado que o autor cometeu crime com restrição de liberdade da vítima, sob ameaça. A mulher foi obrigada a entregar os cartões ao autores e também realizar saques, além de comprar roupas e outros objetos durante o roubo.

O magistrado ainda lembrou que o acusado estava evadido do sistema prisional desde 2017, bem como não tem comprovação de trabalho lícito nem residência fixa. Com isso, ele deverá permanecer detido e deve ser encaminhado ao presídio.

Reconhecido pela tatuagem

Nas investigações, os agentes da Derf (Delegacia Especializada de Roubos e Furtos) reconheceram o autor por causa da tatuagem do Pateta, que a vítima relatou que ele tinha. O suspeito já era conhecido por cometer pequenos furtos e roubos e foi encontrado em casa, na Rua Bartolomeu Mitre.

Ele confessou o crime e disse que cometeu para conseguir dinheiro e assim comprar drogas. Também revelou que teria convidado a comparsa para o roubo e que usou um pé de cadeira para simular a arma de fogo e amedrontar a vítima. O acusado chegou a comprar um celular durante o roubo, que vendeu para um traficante.

Ele ainda disse ter ficado com algumas roupas compradas e que a comparsa teria ficado com R$ 100 e uma sandália, comprada em uma das lojas.

O sequestro

O casal de bandidos surpreendeu a vítima enquanto ela estacionava o carro na Rua General Mello. Com um pé de cadeira, o autor simulou o cano de uma arma de fogo e entrou no veículo, obrigando a vítima a dirigir para eles por aproximadamente quatro horas.

Com os cartões da vítima, eles sacaram R$ 300 e começaram a fazer compras com o cartão de crédito em várias lojas, entre elas dois supermercados. A vítima registrou boletim de ocorrência na Derf e teve início a investigação. Algumas horas após, o homem de 34 anos foi localizado.

Ele foi preso no Noroeste e encaminhado para a Derf. Ele ainda usava uma das camisetas que comprou em um supermercado no momento da prisão e outros itens encontrados com ele, como shorts e tênis, foram apreendidos.

Jornal Midiamax