Polícia

Acusado de matar sogro a tiros é condenado a 18 anos de prisão

Sogra do réu ficou ferido durante assassinato, e ele foi condenado a 4 anos e 8 meses por tentativa de homicídio

Danielle Errobidarte Publicado em 27/10/2021, às 17h01 - Atualizado às 17h57

Arma usada no crime.
Arma usada no crime. - (Foto: Arquivo Midiamax)

Ricardo Ribeiro Alves da Silva foi condenado a 18 anos e 8 meses de reclusão, em regime fechado, pelo homicídio de seu sogro Renaldo Luiz Torquato, e tentativa de homicídio de Cosma Lúcia, sua sogra, no dia 31 de agosto de 2020. O crime ocorreu no Jardim Los Angeles por uma suposta partilha de drogas.

Pelo homicídio, Ricardo foi condenado a 14 anos de reclusão, e pela tentativa de homicídio, por mais 4 anos e 8 meses. Os crimes são hediondos e o regime de pena é fechado. A decisão foi dada pela 2ª Vara do Tribunal do Júri da Capital.

Relembre o caso

Ricardo acabou preso pela Polícia Civil e pela Polícia Militar por volta das 18h30 da noite de segunda, 31 de agosto. Ele confessou ter cometido o crime por que estava sofrendo ameaças de morte por Renaldo desde o tempo em que ficaram presos.

A vítima foi assassinada com três tiros no quarto de sua casa, sendo um no pescoço, outros nas costas e um no braço, quando a esposa de Renaldo acabou ficando ferida. O comparsa de Ricardo acabou preso por equipes do Batalhão de Choque quando fugia em um Fiorino, identificado como Dalmir Fellipe Carvalho da Silva.

O comparsa disse na delegacia que não havia participado do crime, e que apenas tinha dado uma carona a Ricardo em troca de drogas. Ele ainda falou que ficou sabendo do assassinato quando Ricardo entrou no carro e falou que tinha cometido o crime colocando a arma na cintura.

Em seguida, eles saíram do local, mas o carro acabou estragando e Ricardo abandonou o comparsa na rua fugindo. A arma para cometer o assassinato estava no porta-luvas do Fiorino, mas o homem disse que não sabia que Ricardo havia deixado a arma no carro.

Foi dito preliminarmente que Ricardo havia assassinado o sogro por drogas. Quando preso, Ricardo não disse nada.

Jornal Midiamax