Polícia

Policiais civis investigados por receberem propina de cigarreiros são afastados dos cargos

Na manhã desta segunda-feira (1º), foi publicado no Diário Oficial do Estado o afastamento compulsório de cinco policiais civis, alvos de investigações da Polícia Federal por supostamente integrarem a Máfia dos Cigarros. Foram cumpridos contra eles mandados de busca e apreensão na última semana, onde foram apreendidas documentos e aparelhos eletrônicos para constituir provas dos...

Renata Portela Publicado em 01/06/2020, às 10h05 - Atualizado às 13h13

PF durante uma das fases da operação (Arquivo, ilustrativa)
PF durante uma das fases da operação (Arquivo, ilustrativa) - PF durante uma das fases da operação (Arquivo, ilustrativa)

Na manhã desta segunda-feira (1º), foi publicado no Diário Oficial do Estado o afastamento compulsório de cinco policiais civis, alvos de investigações da Polícia Federal por supostamente integrarem a Máfia dos Cigarros. Foram cumpridos contra eles mandados de busca e apreensão na última semana, onde foram apreendidas documentos e aparelhos eletrônicos para constituir provas dos crimes.

Foram afastados pela Corregedoria da Polícia Civil Ivan Zacarias Ramos de Almeida, Amilton Rodrigues da Silva, Efraim Duarte Arnaut, Cleberson de Lima Santini e Nailson Lima Monteiro. Na publicação consta o afastamento cautelar dos agentes, sem prejuízo da remuneração. Eles terão armas e carteiras funcionais, além de outros pertences de patrimônio público recolhidos.

Também ficam suspensas senhas e logins de acesso aos bancos de dados da instituição policial e suspensão de férias e avaliação para fins de promoção. Os cinco policiais da ativa, além de dois já aposentados, são investigados por suspeita de serem líderes regionais do esquema de distribuição de valores realizados pela organização criminosa para a facilitação do contrabando de cigarros.

A organização criminosa investigada na Operação Nepsis formou um verdadeiro consórcio de grandes contrabandistas, com a criação de uma sofisticada rede de escoamento de cigarros contrabandeados do Paraguai, a qual se estruturava em dois pilares: um sistema logístico de características empresariais e, ainda, a corrupção de policiais para facilitar o esquema criminoso.

Os policiais civis foram alvos da Operação Arithmoi, a 4ª fase da Nepsis. O esquema foi descoberto a partir da identificação de listas de contabilidade contendo registros de pagamento a alguns policiais civis da região conhecida como “Cone Sul”.

Jornal Midiamax