Polícia

Demanda do tráfico explode em ano de pandemia e dobram apreensões em MS

A apreensão de um caminhão com 2,8 toneladas de maconha ocorrida nesta quinta-feira (22), em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, levou o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) ao total de 215.531,193 quilos apreendidos em Mato Grosso do Sul apenas em 2020, ano marcado pela pandemia do coronavírus (Covid-19). O aumento é de […]

Renan Nucci Publicado em 22/10/2020, às 14h24 - Atualizado em 23/10/2020, às 08h08

Caminhão lotado de drogas apreendido em MS. Foto: Divulgação
Caminhão lotado de drogas apreendido em MS. Foto: Divulgação - Caminhão lotado de drogas apreendido em MS. Foto: Divulgação

A apreensão de um caminhão com 2,8 toneladas de maconha ocorrida nesta quinta-feira (22), em Dourados, a 225 quilômetros de Campo Grande, levou o DOF (Departamento de Operações de Fronteira) ao total de 215.531,193 quilos apreendidos em Mato Grosso do Sul apenas em 2020, ano marcado pela pandemia do coronavírus (Covid-19). O aumento é de 135,6% em comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram apreendidas 91.556,534 toneladas.

O caminhão em questão foi abordado no âmbito da Operação Hórus, realizada pelo Ministério da Justiça e Segurança Pública em parceria com a Sejusp (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública). Durante patrulhamento na rodovia MS-276, região do distrito de Indápolis, os policiais encontraram a droga escondida em caixas de hortifrúti.

O condutor, um homem de 41 anos, tentou fugir para um matagal às margens da rodovia, mas foi detido. Ele contou aos militares que pegou o caminhão, já com o entorpecente, em um posto de combustível na cidade de Dourados e que foi contratado para entregá-lo no estado de São Paulo, não sabendo especificar o local exato.

Mais apreensões 

A PRF (Polícia Rodoviária Federal) também já bateu recorde neste ano. Até o momento são mais de 313 toneladas de drogas apreendidas em território sul-mato-grossense, contra 119 toneladas apreendidas no mesmo período do ano passado.  A PRF alega que o aumento é fruto de maior Investimento do Governo Federal  na corporação, o que propiciou maior presença dos policiais na ativa, por meio de uma indenização para trabalhar em  horários de folga.

Jornal Midiamax