Polícia

Cocaína apreendida em aeronaves que fugiram de caças da FAB seria avaliada em R$ 28 milhões

A carga de mais de uma tonelada de cocaína que foi apreendida em duas aeronaves interceptadas por caças da FAB (Força Aérea Brasileira), neste domingo (2) estaria avaliada em mais de R$ 28 milhões. Um dos pilotos acabou preso  e o outro fugiu.  Informações apuradas pelo Jornal Midiamax são de que a cocaína sai da Bolívia custando […]

Thatiana Melo Publicado em 02/08/2020, às 15h50 - Atualizado em 03/08/2020, às 10h09

(Divulgação FAB)
(Divulgação FAB) - (Divulgação FAB)

A carga de mais de uma tonelada de cocaína que foi apreendida em duas aeronaves interceptadas por caças da FAB (Força Aérea Brasileira), neste domingo (2) estaria avaliada em mais de R$ 28 milhões. Um dos pilotos acabou preso  e o outro fugiu.

Informações apuradas pelo Jornal Midiamax são de que a cocaína sai da Bolívia custando o valor de U$S 2 mil dólares cada quilo, chegando ao Brasil pelo valor de R$ 25 mil, sendo que este preço pode duplicar ou triplicar dependendo da pureza da cocaína e se o destino for para fora do país. 

Ainda não se sabe ao certo para onde e para quem a cocaína seria entregue. Em uma das aeronaves que foi obrigada a fazer um pouso no aeroporto de Rondonópolis, no Mato Grosso, estavam 450 quilos da droga. O piloto acabou preso por policiais federais que já esperavam pela aeronave EMB-720 Minuano. 

A outra aeronave foi interceptada pelos caças da FAB, a sudoeste de Campo Grande. O piloto que estava na aeronave B-58 Baron fugiu, mas acabou fazendo um pouso forçado em Ivinhema. O piloto não foi encontrado e 700 quilos de cocaína foram apreendidos. A ação faz parte da Operação Ostium para coibir ilícitos fronteiriços. 

Jornal Midiamax