Polícia

Tombo? Até amigo denuncia donos da garagem de carros de luxo que fechou

Na tarde de terça-feira (7), homem de 42 anos procurou a Polícia Civil alegando ser mais uma vítima de suposto golpe da garagem de carros de luxo PMotors, que fechou as portas repentinamente no último fim de semana. A vítima alega ser amigo pessoal de um vendedor da garagem há pelo menos 15 anos e […]

Renata Portela Publicado em 08/04/2020, às 11h15 - Atualizado às 16h01

None

Na tarde de terça-feira (7), homem de 42 anos procurou a Polícia Civil alegando ser mais uma vítima de suposto golpe da garagem de carros de luxo PMotors, que fechou as portas repentinamente no último fim de semana. A vítima alega ser amigo pessoal de um vendedor da garagem há pelo menos 15 anos e também conhecido do proprietário e teria sido vítima na venda de dois veículos.

Conforme o registro, feito na Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), responsável pela investigação no caso, o homem é amigo de um vendedor da garagem há mais de 15 anos e também conhece o proprietário da loja, desde que ele era gerente em outra garagem de automóveis. Ele afirma que já vendeu e comprou vários carros na PMotors e em fevereiro de 2019 entregou uma camionete S10.

O valor de venda era R$ 150 mil, mas a loja vendeu, pagou R$ 50 mil para a vítima e deveria ainda quitar o financiamento de aproximadamente R$ 60 mil e pagar a diferença para o proprietário do veículo. No entanto, eles não quitaram o financiamento, nem pagaram o valor para a vítima.

Por ser amigo do vendedor e do proprietário, ele afirma que cobrou, mas não recebeu os valores. Em abril de 2019 ele também tentou vender um Polo e novamente deixou o financiamento a ser quitado. A empresa não quitou o financiamento, nem pagou as parcelas. A vítima conseguiu o telefone da compradora do carro e descobriu que ela ainda deve R$ 23 mil, ou seja, comprou o carro alienado no nome da vítima.

Já o comprador da S10 afirmou que estava com o veículo também, não pago, e que fez várias multas que resultaram até na suspensão da CNH do antigo proprietário. Os dois compradores foram avisados sobre os fatos e o comprador da S10 repassará as multas para ele.

A vítima informou que não se opõe em não receber o valor total dos veículos da empresa, mas que precisa que sejam quitados os financiamentos. O caso foi registrado como estelionato e, junto com denúncias de várias outras vítimas, é investigado.

Investigação e esclarecimentos

Na última sexta-feira o empresário proprietário da garagem deu início ao esvaziamento da loja, para encerrar as atividades. No sábado e domingo, o assunto foi compartilhado nas redes sociais e vítimas temiam por sofrerem um golpe. Vários clientes teriam deixado carros consignados para venda e não receberam pelas transações.

No domingo, investigadores da Defurv entraram em contato com o empresário e o intimaram para esclarecimentos na manhã desta segunda-feira (06). Ele prestou depoimento, explicando que, de fato, encerrou suas atividades devido a problemas financeiros. Ele disse que teria chamado os proprietários daqueles carros que ainda estavam em sua garagem para a entrega.

Segundo o investigado, dois deles não foram encontrados, sendo que os carros dessas pessoas estão à disposição. Ainda nesta segunda-feira, equipe da Defurv acompanhou o empresário até a garagem, para apreender documentos acerca das negociações das vendas que ainda não foram quitadas e serão objeto da investigação. O investigado colocou-se à disposição para todos os esclarecimentos possíveis, bem como fornecimento da documentação pertinente ao caso.

Crimes de estelionato, ou apropriação indébita são investigados no caso. Os envolvidos em tais situações poderão procurar a Defurv para esclarecimentos e registro de ocorrência.

Jornal Midiamax