Mato Grosso do Sul já contabiliza 19 agentes da segurança pública afastados preventivamente de suas funções por conta do (Covid-19), sendo que alguns ainda estão sob investigação e outros já tiveram a confirmação de contágio. Os números são atualizados desta segunda-feira (4).

Segundo a assessoria da (Secretaria Estadual de Justiça e Segurança Pública), na Polícia Civil há um caso confirmado e outro suspeito sob investigação. Esses dois casos são da cidade de Miranda.  Já no caso do dos policiais militares são 13 afastados preventivamente sendo que dois estão sob investigação e 11 não apresentam os sintomas.

No caso de agentes penitenciários, são três que estão afastados com suspeita de Covi-19 e no existe um afastamento de militar por suspeita da doença. No dia 29 de abril, dez guardas civis metropolitanos que trabalham nas operações do toque de recolher foram afastados por causa do coronavírus.

Segundo a Sejusp, desde o começo da pandemia já foram descartadas 70 suspeitas de militares que poderiam ter se contaminado. O servidor teve contato com caso suspeito no trabalhou ou na família, ou se apresentar sintoma de gripe, é afastado automaticamente por sete dias. Se os sintomas persistirem, eles serão testados e, em caso de positivo, ficam afastados por mais 14 dias.

Caso Miranda

No dia 15 de abril a delegacia de Miranda teve de ser fechada após presos vindos de São Paulo testarem positivo para coronavirus e contaminarem policiais. 12 policiais tiveram contato com os presos, sendo que dois detentos testaram positivo para coronavírus. O primeiro preso detectado com coronavírus era de São Paulo, e havia sido detido no último dia 2 de abril, motivo pelo qual estava recolhido na Delegacia de Polícia Civil do município.