Polícia

Servidor que quebrou porta da Assembleia foi levado para Delegacia

Ele vai assinar Termo de Ocorrência

Wendy Tonhati Publicado em 28/11/2017, às 14h17

None

Ele vai assinar Termo de Ocorrência

Um servidor do governo do Estado foi detido pela Polícia Militar apontado como responsável por quebrar uma porta de vidro da Assembleia Legislativa. A sessão da manhã desta terça-feira (28) aprovou projeto de Reforma da Previdência estadual e teve confronto entre os funcionários públicos, que tentaram impedir a votação, e a Polícia Militar.

O servidor detido é da área da Educação de Pedro Gomes- cidade 296 quilômetros ao norte de Campo Grande. Representantes sindicais acompanham a situação e, segundo o advogado Ronaldo Franco, o servidor deve assinar um TCO (Termo Circunstanciado de Ocorrência), pagar fiança e ser liberado. O TCO é um registro de um fato tipificado como infração de menor potencial ofensivo.

Servidor que quebrou porta da Assembleia foi levado para Delegacia

Reforma da previdência dos servidores

Policiais militares do Choque lançaram bombas de efeito moral no pátio da Assembleia após os servidores estaduais ocuparem a Casa de Leis. Houve tumulto, correria e alguns servidores passaram mal com as bombas e se feriram durante a confusão.

A sessão durou cerca de 25 minutos, os deputados estaduais aprovaram, por 13 votos a 7 a reforma da previdência dos servidores. O presidente da Assembleia, deputado Junior Mochi (PMDB), concedeu entrevista coletiva e explicou os termos alterados na proposta que recebeu aval de 13 parlamentares, e voto contrário de 7.

Segundo Mochi, foram acolhidas 25 emendas à proposta original enviado pelo governador Reinaldo Azambuja (PSDB). “O projeto sai bem diferente de como chegou. A Assembleia tentou cumprir sua missão”, frisou o peemedebista.

Jornal Midiamax