Familiares teriam reconhecido as vestes

Dois corpos foram encontrados em uma fazenda no munícipio de , distante 466 km de Campo Grande. De acordo com a Polícia Civil da cidade, a descoberta foi feita durante uma busca realizada nesta terça-feira (1º), na propriedade, e os corpos seriam de dois indígenas que desapareceram em julho de 2016.

De acordo com o delegado que investiga o caso, Thiago de Lucena e Silva, a polícia chegou até o local por meio de uma testemunha. “Surgiu um boato recentemente de que eles [os indígenas] teriam sido mortos e enterrados em uma fazenda. Uma testemunha foi identificada e ela teria ouvido esses fatos”, explicou.

Para constatar as informações, a polícia precisou ir até a fazenda para fazer as buscas. Segundo o delegado, a hipótese de que os dois homens tenham sido mortos por conflito de terras foi descartada já que a fazenda não faz parte da demarcação indígena.

As investigações para descobrir a motivação do crime devem continuar, mas o delegado explicou uma das linhas de investigação. “A região tinha muito furto de gado e a suspeita desse crime recaia nos indígenas porque ali era caminho para a aldeia, entre outros detalhes. A gente trabalha com essa possibilidade de que eles estavam na propriedade e que esse ex-funcionário teria encontrado eles e os matado”, disse Thiago.

O suspeito pelo crime está desaparecido por volta de 6 meses e já teve problemas com furtos na cidade, conforme o delegado. Já os dois homens mortos, de acordo com Thiago, seriam usuários de drogas e já estiveram envolvidos em pequenos furtos.

Na manhã desta terça, Polícia Civil, Polícia Militar realizaram as buscas juntamente com a Funai (Fundação Nacional do Índio), lideranças indígenas e o proprietário da fazenda. Segundo Thiago, o dono da propriedade não sabia do fato. Os dois indígenas teriam sido reconhecidos pelos familiares através das vestes, um anel e uma bolsa que foram encontradas enterradas junto dos corpos. “Será pedido ainda um exame de DNA para não ter dúvidas”, comentou Thiago.

 

Liderança contesta

De acordo com o cacique da aldeia Porto Lindo que esteve no local das buscas, os dois homens nunca tiveram problemas na região. “Eles tinham família, são agricultores e cada um deixou 4 filhos”, explicou a liderança.

Sobre as investigações, o cacique afirmou que irá acompanhar os desdobramentos do caso. “Preciso dar uma resposta satisfatória tanto para a minha comunidade quanto para a família que me procurou porque queria uma resposta. Tranquilizamos a família de ter encontrado os corpos”, disse. A liderança contou que ajudou a fazer as buscas na propriedade em que a polícia esteve no período da manhã. 

 

Desaparecimento

De acordo com o agricultor Dorival Velasquez, de 35 anos, que vive na mesma comunidade, os corpos foram encontrados por volta das 10 horas da manhã desta terça. “Eles desapareceram a mais ou menos um ano. Sumiram depois que saíram para pescar”, contou.

Polícia encontra corpos que podem ser de desaparecidos há 1 ano

 

WhatsApp: fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens ao WhatsApp do Jornal Midiamax no número (67) 99207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem com os jornalistas. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviados com total sigilo garantido pela lei.