Crime aconteceu em janeiro de 2016

Para tentar desqualificar o crime de a defesa do idoso Wilson Lima, de 71 anos, deve alegar durante o julgamento do réu que acontece nesta terça-feira (29), no Tribunal do Júri, em , que ele estava em ‘violenta emoção', quando cometeu o crime.

Wilson matou a facadas em frente ao Hospital Regional a ex-mulher Vilma Lima, de 57 anos. De acordo com o advogado de defesa Ricardo Vagner, o autor teria descoberto que a vítima estaria em outro relacionamento.

Já o Ministério Público vai tentar manter a qualificadora do crime como feminicídio qualificado com recurso que dificultou a defesa da vítima, o que pode resultar em uma pena de 12 a 30 anos de prisão. Mas, como Wilson tem mais de 70 anos e sem antecedentes criminais a pena pode chegar a 14 anos de prisão.

A família tanto de Vilma como de Wilson acompanham o julgamento. E o resultado deve sair até o início da tarde desta terça-feira (29).

O crimeDefesa vai alegar que idoso estava em ‘violenta emoção' quando matou ex em hospital

Na tarde do dia 5 de janeiro de 2016, Wilson foi até o Hospital Regional onde encontrou com a ex-mulher, que trabalhava com agendamento de internações e triagem de pacientes. Eles começaram a conversar quando o autor que nutria esperanças de reatar o casamento e ver que a ex-mulher estava irredutível a esfaqueou.

Socorristas tentaram reanimar Vilma e ela chegou a ser levada à CTI (Centro de Terapia Intensiva), mas a informação é de que ela já estaria sem os sinais vitais quando caiu no chão.

Tentativa de suicídio

Já Wilson após o crime fugiu em um veículo Celta, de cor preta, e tentou o suicídio colidindo o carro contra uma carreta, na BR-262. Caminhoneiro e outra testemunha tentavam salvar o idoso, mas ao quebrarem o vidro do carro para retirarem Wilson de dentro, ele tentou se matar cravando uma faca no peito.

O Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) foi acionado e Wilson deu entrada no Pronto Socorro no começo da noite como desconhecido e, posteriormente, uma das filhas o identificou.