Polícia

Carros rondando a Máxima deixam mulheres em alerta após visita tranquila

Elas suspeitam de ataques na rua

Renata Portela Publicado em 08/01/2017, às 19h09

None
presidio2.jpeg

Elas suspeitam de ataques na rua

Às 16 horas termina o dia de visita no Presídio de Segurança Máxima, o Estabelecimento Penal Jair Ferreira de Carvalho. Após áudios que foram enviados por presos serem interceptados e revelarem um suposto ataque neste domingo (8), nenhuma anormalidade foi registrada no presídio mas, do lado de fora, continua o clima de tensão.

Visitantes que conversaram com a equipe de reportagem do Jornal Midiamax durante a manhã, quando entravam no presídio para visitarem os maridos, contaram que estavam preocupadas com os supostos ataques que poderiam acontecer. Várias mensagens de áudio enviadas por detentos foram interceptadas e revelavam que uma ‘guerra’ poderia acontecer no estabelecimento penal.

Segundo as mulheres, o dia de visita foi normal e não houve qualquer movimentação diferente no presídio. No entanto, dois carros que rondam a região do IPCG (Instituto Penal de Campo Grande) preocupam as visitantes. De acordo com elas, um Gol branco e um Uno preto transitam pela região e há suspeita que os ocupantes do carro possam atacá-las no ponto de ônibus.

Com medo de uma emboscada, elas afirmam que irão juntas até o ponto e também evitam andarem sozinhas pela região. Uma equipe da Força Tática da Polícia Militar está no local e dá apoio à segurança no local.

Conforme apurado pelo Midiamax, nas primeiras horas de segunda-feira (9), mais de 10 presos seriam transferidos do Presídio de Segurança Máxima para outro estabelecimento penal do Estado. A ação seria uma estratégia para evitar conflitos no presídio.

Jornal Midiamax