Polícia

Vizinhos relatam tranquilidade em rua onde jovem foi morto a tiros

Rapaz teria sido vítima de 'acerto de contas'

Renata Portela Publicado em 28/02/2016, às 12h25

None
homicidio_-_la.jpeg

Rapaz teria sido vítima de 'acerto de contas'

Casal morador da Rua Camila, no Danúbio Azul, região norte da Capital, contou ao Jornal Midiamax que reside no local há 5 anos e este é o primeiro homicídio que presencia. Na noite de sábado (27), Gleisson Felipe Vargas Lima, de 19 anos, foi morto na rua com 3 tiros, em um suposto acerto de contas.

Segundo os moradores, o mestre de obras de 59 anos e a costureira, de 56 anos, eles moram há 10 anos no bairro e há 5 se mudaram para a Rua Camila. Segundo as testemunhas, na noite de sábado assistiam televisão quando ouviram os três tiros. O homem conta que, após ouvir os tiros, desligou a televisão e o casal ficou em silêncio em casa, com medo.

De acordo com as testemunhas, após ouvirem movimentação na rua, saíram para ver o que havia ocorrido. Os moradores afirmam que não conhecem Gleisson e ainda disseram: “A rua é tranquila e nunca tinha ocorrido nada desse tipo aqui”. Apesar disso, o mestre de obras afirma ao Midiamax que no bairro, já soube de pelo menos 5 homicídios nos últimos tempos.

Homicídio

De acordo com a polícia, por volta das 22 horas uma moradora do bairro ouviu os tiros e saiu de casa para ver o que havia ocorrido. Ela encontrou Gleison sentado na calçada, com as perfurações no corpo, e acionou a Polícia Militar e o Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), mas quando o socorro chegou o rapaz já estava sem vida.

Segundo informações da polícia, com Gleison foi encontrada uma faca de serra, na cintura. O jovem, que tem várias passagens pela polícia, foi morto com três tiros, possivelmente calibre 32 e há suspeita de que o homicídio tenha sido motivado por acerto de contas.

O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) Centro e, até o momento ninguém foi preso, mas a polícia já tem suspeita de quem seja o autor do crime, que é tratado como homicídio doloso, quando há intenção.

Jornal Midiamax