Polícia

Suspeito de estuprar e matar moradora de Campo Grande no Paraná é preso

Vítima tentou defender sobrinha de 12 anos de abuso

Wendy Tonhati Publicado em 23/01/2016, às 20h46

None
m_2301rana-06i03.jpg

Vítima tentou defender sobrinha de 12 anos de abuso

A Polícia Civil do Paraná prendeu na manhã deste sábado (23), um homem suspeito de ter participado da morte de Rosimeire Oliveira de Souza, 31 anos, paranaense que morava em Campo Grande. Ela visitava a família em Sarandi, região metropolitana de Maringá, quando a casa em que estava foi invadida por três criminosos na quinta-feira (21).

Rosimeire teria tentado defender a sobrinha, de 12 anos, da violência sexual, que acabou acontecendo, e foi estuprada e morta por asfixia. 

O delegado que comanda as investigações confirmou a prisão à imprensa local e disse que o suspeito deve ser ouvido ainda neste sábado. O suspeito apresenta forte semelhança com o retrato falado elaborado por um perito da Polícia Federal e deve ser apresentado para reconhecimento das vítimas.

A autoridade policial não divulgou mais detalhes e se limitou a dizer que a prisão ocorreu em uma cidade da região. 

O retrato falado foi feito com base nas caraterísticas do estuprador. Os outros dois criminosos não teriam participado da violência sexual e deram suporte ao bandido. 

A Polícia Civil divulgou a imagem na manhã da sexta-feira (22) e recebeu diversas informações sobre o possível paradeiro dos suspeitos. Durante o crime os bandidos se chamaram pelos nomes de Pablo, Douglas e Jeferson. 

Crime

Os bandidos entraram na casa por uma das janelas da cozinha. A primeira a ser abordada foi a mãe de Rosimeire, uma senhora identificada como Bernardete, que dormia com uma criança em um dos quartos. Rosimeire foi acordada com agressões e teria sido obrigada a tirar a roupa por um dos bandidos. A sobrinha dela também teria sido obrigada a ficar nua.Suspeito de estuprar e matar moradora de Campo Grande no Paraná é preso

A suspeita da polícia é que a tia tenha tentado defender a sobrinha e impedir o estupro, mas acabou sendo ela mesmo violentada e morta pelos criminosos. O corpo apresentava várias lesões no crânio.

A menina também sofreu abuso e foi encaminhada para um hospital da região. Ela teve alta médica na manhã da sexta-feira e vai passar por acompanhamento psicológico. 

Jornal Midiamax