Vítima foi agredida com pauladas e recebeu ameaças

A Polícia Civil vai ouvir na próxima semana testemunhas sobre a agressão sofrida por um guarda civil municipal, de 29 anos, que cumpria serviço na Escola Municipal Professora Ione Catarina Gianotti Igydio, no Noroeste, em Campo Grande.

De acordo com o delegado Fabiano Goes Nagata, o caso será investigado pela 3ª Delegacia de Polícia Civil.  

O servidor disse aos policiais que um jovem apareceu em cima do muro e disse “Vamos fazer esse guardinha ou não?”. O suspeito pulou o muro, entrou na escola e agrediu o guarda com várias pauladas.

Agressão

O guarda disse à polícia que foi agredido a pauladas. Além do agressor, havia pelo menos mais nove pessoas armadas com facas e pedaços de madeira. A vítima pediu ajuda e o guarda civil municipal que estava de plantão no Ceinf, que fica ao lado, foi ver o que estava acontecendo.

Neste momento, um homem que estava do lado de fora da escola fez um disparo de arma de fogo e ainda teria jogado o estojo de munições dentro da escola e falado “Toma guarda, que na próxima vai ser na cabeça”.

O caso está sendo tratado como um ato isolado pelas características. O guarda agredido não trabalha regularmente na escola e estava cobrindo folga de um colega. 

Saiba Mais