Polícia

Motociclista quase ‘perde’ o pescoço com linha de cerol

 Motociclista tem pescoço cortado e afirma que nãos existe fiscalização

Thatiana Melo Publicado em 07/02/2015, às 18h38

None
cerol.jpg

 Motociclista tem pescoço cortado e afirma que nãos existe fiscalização

O motociclista, Pedro Henrique Rodrigues, de 20 anos, quase ‘perdeu’ o pescoço, com uma linha de cerol, ao passar pela Rua Silvio de Campos, no Jardim Presidente, na quinta passada. Indignado com a situação ele contou a nossa reportagem, que não existe fiscalização e que aos finais de semana, o que mais se vê são as crianças soltando pipa com cerol.

O garçom explicou que o pior só não aconteceu porque não estava correndo “Estava devagar, quando senti algo queimando no meu pescoço. Parei e quando vi era uma linha de pipa com cerol”, fala Pedro que diz que agora vai providenciar uma vareta para colocar na sua moto.

A Lei

Desde novembro de 2007, a lei 3.436 sancionada pelo ex-governador do Estado, André Puccinelli, proibi a fabricação e a comercialização da mistura de cola e vidro, conhecido como cerol ou outros produtos cortantes aplicados em pipas. O descumprimento da lei prevê uma multa no valor de 20 Uferms. E caso os envolvidos sejam menores de idade, os responsáveis arcaram com a responsabilidade, e no caso de reincidência, em um período de dois anos, a multa será duplicada.

Serviço: Para denunciar crimes de cerol está disponível o telefone do Ciops (Centro Integrado de Operação de Segurança) 190.

Jornal Midiamax