Polícia

Polícia Federal segue em protestos pelo Brasil e em Campo Grande faz doação de sangue

A Polícia Federal continua com as atividades paralisadas em vários estados brasileiros. De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapf), em todos os estados brasileiros foram registradas manifestações.  A paralisação de 48 horas começou na manhã da terça-feira (25) e dura até a quinta-feira (27). Em Brasília, um elefante inflável foi usado em […]

Arquivo Publicado em 26/02/2014, às 19h31

None
1325960236.jpg

A Polícia Federal continua com as atividades paralisadas em vários estados brasileiros. De acordo com a Federação Nacional dos Policiais Federais (Fenapf), em todos os estados brasileiros foram registradas manifestações.  A paralisação de 48 horas começou na manhã da terça-feira (25) e dura até a quinta-feira (27).


Em Brasília, um elefante inflável foi usado em manifestação. Em várias cidades, entre elas Dourados, os agentes enxugaram gelo, para simbolizar o trabalho inútil. Na Capital, no primeiro dia de protestos, foi feito a distribuição de panfletos. Já nesta quarta-feira (26), os policiais optaram por realizar uma doação de sangue no Hemosul.


No Estado, durante os dois dias de paralisação, somente os trabalhos considerados essenciais foram mantidos. “Estamos pedindo uma reestruturação da Polícia Federal pelo Governo Federal, tanto no sentido de equipamentos quanto no financeiro. O Governo vem ao longo dos anos vem cortando a verbas e sucateando a PF e com isso, dificultado o trabalho de investigação”, diz a policial Débora Barbosa Rocha de Carvalho. Os policiais também buscam o reconhecimento do nível superior da carreira, pois até agora, é enquadrada como nível médio.


Segundo Débora, pelo menos 20 policiais compareceram à doação de sangue no período da manhã. A ação é um modo de aliar a causa dos policiais e ao mesmo tempo dar apoio à sociedade, principalmente no período que antecede o carnaval. Além da doação de sangue, a PF de Campo Grande também esta recolhendo doações de roupas e cobertores que serão encaminhados a uma instituição de apoio a dependentes químicos.


Operações – Neste ano a Polícia Federal já prendeu cinco pessoas na Operação Silvo. No ano passado foram oito operações, entre elas, a “Sangue Frio”, juntamente com a Controladoria Geral da União (CGU) que visava desarticular a ‘máfia do câncer’ que atuava no Hospital Universitário Maria Aparecida Pedrossian (HU), Hospital do Câncer Prof. Dr. Alfredo Abrão e Hospital Regional Rosa Pedrossian.  Em 2012, foram 12 operações, em 2011, foram 14.


Em 2010, entre as operações desenvolvidas no ano está a Uragano, em Dourados. Na operação, a Polícia Federal cumpriu 29 mandados de prisão temporária e 38 conduções coercitivas. As ações visaram combater práticas de fraude à licitação, corrupção ativa e formação de quadrilha chefiadas pelo prefeito da cidade.


A Uragano investigou a corrupção em Dourados, vinculada principalmente à prefeitura de Dourados, chefiada por Ari Artuzi. Ao todo, 28 pessoas foram presas preventivamente.


Interior – Em Corumbá, os policiais federais engrossaram o movimento pela cobrança da regulamentação do adicional de fronteira junto com Policiais Rodoviários Federais e auditores da receita federal. Em Dourados, uma mula foi colocada na frente da sede da delegacia, para sinalizar a insatisfação dos agentes. 


Doações – As doações podem ser levadas na sede do sindicato dos policiais federais, na rua Valdez, número 179, na Vila Alba. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3362-8299.

Jornal Midiamax