Polícia

Polícia achou máscara de Batman em casa do atirador do Colorado, diz autoridade

Uma autoridade de polícia afirma que investigadores acharam uma máscara do super-herói Batman no apartamento de James Holmes, suspeito de abrir fogo em um cinema na estreia do filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, na madrugada da última sexta-feira (20). A informação foi passada à agência “AP” por uma fonte que não quis ser […]

Arquivo Publicado em 23/07/2012, às 13h44

None

Uma autoridade de polícia afirma que investigadores acharam uma máscara do super-herói Batman no apartamento de James Holmes, suspeito de abrir fogo em um cinema na estreia do filme “Batman: O Cavaleiro das Trevas Ressurge”, na madrugada da última sexta-feira (20). A informação foi passada à agência “AP” por uma fonte que não quis ser identificada.


A polícia diz que já retirou materiais perigosos do apartamento do suspeito. Segundo as autoridades, o local estava cheio de armadilhas.


No sábado (21), policiais disseram que “reduziram de forma significativa” a ameaça das bombas e armadilhas colocadas por James Holmes.


A polícia afirmou que o suspeito agiu com “cálculo e deliberação”, comprando munição durante meses.


Os agentes do FBI e da polícia descobriram que o apartamento do suspeito tinha armadilhas e explosivos quando usaram uma câmera na ponta de uma vara de mais de três metros para conseguir observar o interior do apartamento.


“Pessoalmente, nunca vi nada como o que encontramos lá”, disse Dan Oates, delegado de polícia de Aurora, bairro onde ocorreu o ataque ao cinema.


A primeira armadilha era um fio estendido em frente à porta de entrada do apartamento. Dentro estariam potes com catalisadores, produtos químicos que explodiriam quando misturados e mais de 30 granadas improvisadas.


“Este apartamento foi projetado para matar quem quer que entrasse”, afirmou Oates, acrescentando que a primeira pessoa a morrer caso as armadilhas tivessem sido ativadas, seria um policial.


Devido à ameaça de explosão, durante a operação o edifício onde fica o apartamento de Holmes e outros quatro prédios foram evacuados. Mas a polícia espera liberar a área para a volta dos moradores no domingo.


No sábado (21), policiais disseram que “reduziram de forma significativa” a ameaça das bombas e armadilhas colocadas por James Holmes.


A polícia afirmou que o suspeito agiu com “cálculo e deliberação”, comprando munição durante meses.


Os agentes do FBI e da polícia descobriram que o apartamento do suspeito tinha armadilhas e explosivos quando usaram uma câmera na ponta de uma vara de mais de três metros para conseguir observar o interior do apartamento.


“Pessoalmente, nunca vi nada como o que encontramos lá”, disse Dan Oates, delegado de polícia de Aurora, bairro onde ocorreu o ataque ao cinema.


A primeira armadilha era um fio estendido em frente à porta de entrada do apartamento. Dentro estariam potes com catalisadores, produtos químicos que explodiriam quando misturados e mais de 30 granadas improvisadas.


“Este apartamento foi projetado para matar quem quer que entrasse”, afirmou Oates, acrescentando que a primeira pessoa a morrer caso as armadilhas tivessem sido ativadas, seria um policial.


Devido à ameaça de explosão, durante a operação o edifício onde fica o apartamento de Holmes e outros quatro prédios foram evacuados. Mas a polícia espera liberar a área para a volta dos moradores no domingo.


As imagens mostram um jovem tímido e um pouco nervoso por falar em público, mas nada que indicasse um comportamento agressivo.


Ele ainda é apresentado por um dos professores como um jovem que gosta de futebol, jogos de estratégia e cujo o maior orgulho era possuir uma máquina de slurpee (que faz bebidas a base de gelo moído).


Holmes comparecerá em um tribunal do Colorado nesta segunda-feira para que seu processo judicial comece.


O detido preparou durante meses o tiroteio no cinema e a sofisticada armadilha que instalou em sua casa, o que deve ter custado cerca de US$ 8 mil, o que somado aos US$ 250 do clube do tiro, dá uma quantia bastante alta para um estudante desempregado desembolsar.

Jornal Midiamax