Polícia

Preso trio que invadiu casa, rendeu advogado e roubou R$ 300 mil em jóias e eletrônicos

Assalto ocorreu em bairro nobre de Campo Grande; um dos ladrões, pedreiro que arrombou muro para a invasão, ainda está foragido

Arquivo Publicado em 26/01/2011, às 13h36

None

Assalto ocorreu em bairro nobre de Campo Grande; um dos ladrões, pedreiro que arrombou muro para a invasão, ainda está foragido

A Derf (Delegacia Especializada em Roubos e Furtos) apresentou nesta quarta-feira (26), Heider Monteiro, 45, Vagner Ferreira Sales, 20 e Bruno Fernandes, 21, pelo assalto praticado às 10h30 do último dia 22 de dezembro numa casa no bairro Carandá Bosque em Campo Grande.

O pedreiro David Henrique dos Santos, 27 que fez um buraco no muro para entrar na residência está foragido. Da casa foram levados R$ 300 mil em jóias, produtos eletrônicos, roupas e um veículo Gol.

Vagner contou à polícia que vendeu as jóias por R$ 6 mil. Heider que ficou com R$ 2 mil, foi o responsável por dividir o dinheiro; outros R$ 2 mil ficaram com Vagner, Bruno com uma TV e o pedreiro com uma arma levada da casa.

A polícia encontrou no apartamento de Vagner, preso na última segunda-feira (24) no bairro Moreninhas, duas armas de fogo e oito pedras preciosas.

Já Bruno foi quem transportou os três assaltantes em seu carro e depois retornou até a casa onde pegou o carro Gol e o abandonou no bairro Monte Alegre. Ele foi encontrado na última terça (25) em sua casa no bairro Jardim Botânico na Capital.

Heider, também conhecido como “Mestre Maranhão” foi preso pela Depac neste mês, ele estava com uma camisa da vítima.

Crime

Heider, Vagner e David invadiram a casa no bairro Carandá Bosque, amarraram o advogado B.R.S., 27 anos, por volta das 10h30 e depois aguardaram a chegada de algum familiar que soubesse a senha do cofre para roubar. A mãe da vítma, R.M.R.S., de 52 anos, chegou uma hora depois de o filho estar sob o poder dos bandidos.

A dentista disse à reportagem que logo ao chegar pela varanda de casa dois homens encapuzados a abordaram e disseram que não queriam fazer mal a ninguém e a questionaram se sabia a senha do cofre.

Em seguida informaram que o filho estava com o terceiro integrante do grupo dominado em um quarto da residência. “Respondi que sabia a senha, mas que antes de abrir queria ver se estava tudo bem com meu filho. Depois disto que eu abri, eles pegaram tudo e outros objetos de valor da casa”, relata.

R.M.R.S. disse que os homens tentaram fugir em um carro modelo Fusion, mas não conseguiram ligá-lo e então levaram as jóias e os eletrônicos no veículo  Gol, que posteriormente foi abandonado.

A dentista ainda relata que antes de saírem, os homens a amarraram e a deixaram junto com o filho no quarto. Eles trancaram a porta, mas deixaram o portão entreaberto. “Eles pegaram um celular nosso, nos devolveram o chip e disseram que iriam avisar alguém que estávamos amarrados, mas isto não aconteceu”, recorda-se. Um dos homens ainda disse que o assalto era “pra sustentar os filhos”.

Tempo depois a filha chegou e percebeu algo estranho logo na chegada devido ao portão entreaberto, entrou chamando pela mãe e depois acabou encontrando as duas vítimas.

Estratégia

A casa da família fica ao lado de um terreno baldio que acumula muito mato. David, o pedreiro que está foragido foi que fez um buraco no muro, pelos fundos da residência, entraram e praticaram o assalto. (Colaborou: Eliane Souza)

Jornal Midiamax