O primeiro-ministro britânico, Rishi Sunak, disse nessa terça-feira (6), que ficou “chocado e triste” ao saber que o rei Charles III tem câncer, mas que está aliviado porque a doença foi detectada precocemente.

O Palácio de Buckingham anunciou na noite de segunda-feira (5) que o rei começou o tratamento ambulatorial para uma forma não revelada de câncer. A doença foi descoberta durante seu recente tratamento para um aumento da próstata, mas segundo o palácio, não está relacionado a essa condição.

“Felizmente, isso foi detectado precocemente”, disse Sunak à rádio BBC, acrescentando que, como primeiro-ministro, ele “continuaria a se comunicar com ele normalmente”.

Rei Charles III

Com menos de 18 meses de reinado, o monarca de 75 anos suspendeu os compromissos públicos, mas continuará com os negócios do Estado – incluindo reuniões semanais com o primeiro-ministro – e não entregará suas funções constitucionais como chefe de Estado.

O palácio disse que Charles, que geralmente aparenta boa saúde, “permanece totalmente positivo em relação ao seu tratamento e espera retornar ao serviço público completo o mais rápido possível”. Charles se tornou rei em setembro de 2022, quando sua mãe, a Rainha Elizabeth II, morreu aos 96 anos, após 70 anos no trono.

O rei assumiu o trono com a intenção de presidir uma monarquia mais enxuta, com menos membros da realeza sênior desempenhando funções públicas cerimoniais.

Não há planos atuais de convocar os “conselheiros de estado” para substituir o monarca em deveres constitucionais, como assinar leis e receber embaixadores. Estão entre os conselheiros: membros seniores da realeza, incluindo a rainha e o herdeiro do trono.

Com informações da Agência Estado e Associated Press